Fernando Bezerra Coelho recebe o prefeito de Olinda, Lupércio

Lupércio levou correligionários para reunião com Fernando Bezerra Coelho

Na busca pela consolidação à candidatura do PMDB para o governo do Estado, o senador Fernando Bezerra Coelho, recém-chegado ao partido, teve na manhã dessa segunda (11) uma reunião com o prefeito de Olinda, Professor Lupércio (SD). O encontro ocorreu no escritório de Bezerra, no bairro do Pina. Além de Lupércio, estavam presentes o vice-prefeito Márcio Botelho (SD), o secretário de relações institucionais, Arlindo Siqueira e o empresário André Siqueira.

Oficialmente, a pauta foi administrativa e Lupércio tratou de ações voltadas para Olinda. Segundo a assessoria do prefeito, Lupércio tem conversado com diversas esferas políticas, independente de partido. Integrante de um partido da base do governador Paulo Câmara (PSB), em março, o gestor esteve com o senador Armando Monteiro. No mês passado, Lupércio recebeu o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, ainda no PSB, na sede do governo municipal. Nas duas ocasiões, também foi divulgado uma pauta administrativa.

O presidente do SD-PE, o deputado federal Augusto Coutinho, também engrossou a pauta administrativa. “Ele (Lupércio) foi ao senador, que votou nele (Fernando), para pedir apoio para a gestão. Não teve caráter político. Foi uma coisa isolada. Se fosse um encontro de caráter político, eu teria ido”, disse Coutinho. O deputado afirmou, ainda, que o Solidariedade pertence à base do governo estadual e que “não tem que está discutindo essas coisas”.

Cerco

O “cerco” da família Coelho a prefeitos considerados estratégicos e que não divulgam claramente seus posicionamentos para os palanques de 2018 não é necessariamente uma novidade. No final de agosto, o outro filho do senador Fernando Bezerra, Miguel Coelho (PSB), prefeito de Petrolina, fez uma maratona de visitas a prefeituras na Região Metropolitana.

Miguel esteve com o prefeito do Cabo, Lula Cabral, que apesar de ser do PSB, não possui um bom relacionamento com o Palácio do Campo das Princesas. O gestor de Petrolina também se reuniu com o prefeito de São Lourenço da Mata, Bruno Pereira (PTB), e de Jaboatão, Anderson Ferreira (PR). Anderson também consta na base palaciana, mas é sabido que o clã dos Ferreira vem buscando uma vaga para a disputa majoritária, ao Senado, em 2018.

Com informações do NE10.

Um Comentário

  • Justino

    12 de setembro de 2017 at 16:25

    O jornalista Ricardo Carvalho, acaba de enviar ao e-mail deste Blog, um artigo no qual pontua a nota escrita pelo PMDB do estado de Pernambuco que crítica a forma do retorno do senador Fernando Bezerra Coelho a legenda democrática brasileira. Confira na íntegra do texto nas próximas linhas abaixo…

    “A NOTA do PMDB-PE contra o senador Bezerra Coelho é uma flor de laranja. Eu serei mais duro, porque a atitude do Fernando foi de um grande oportunismo. Mas, a história do Fernando é marcada por traições. Nasceu na ARENA, nos braços de Nilo Coelho – um grande político e homem público – e vai morrer num forte abraço com o ex-arenista Romero Jucá, envolvido em mais de 10 processos por roubo e formação de quadrilha. Na Arena, foi secretário de Roberto Magalhães. Foi sua primeira traição. Entrou no PMDB de Jarbas, para fazer seu pai vice-governador.

    Traiu Jarbas e foi para o PSB de Arraes, em cujo governo pintou e bordou. Foi eleito senador por força dos votos de Eduardo Campos. Pensou em ser dono do PSB, ao se “bandeirar” para o PT de Lula. Foi ministro da Dilma, para depois traí-la, quando o barco afundava.

    Em Pernambuco, começou a trair Paulo Câmara… logo após passar a responder vários processos, no STJ. A verdade é que as traições do Bezerra Coelho nunca terão fim. Saiu do PSB para contar com mais uma traição, no seu curriculum…

    E agora, mais uma vez traiu Jarbas Vasconcelos e tudo para ganhar o título de usurpador. Como um oportunista de siglas juntou-se aos quadrilheiros do PMDB nacional.

    De Sarney a Temer… de Jucá a Gata Branca. Quer ficar com o PMDB ( MDB ) pernambucano, regional de muitas histórias da resistência democrática. De políticos como Fernando Lyra, Marcos Freire, João Bosco Tenório, Egídio Ferreira Lima, Dorany Sampaio e muitos outros. Não. O PMDB não pode ficar nas mãos de um traidor da nossa história. Não… O PMDB não pode ficar nas mãos sujas de Fernando Bezerra Coelho”. (Manifesto do jornalista Ricardo Carvalho).

    (Blog do Banana)

    Responder

Deixe uma resposta