Gabriel Menezes apresenta lei para fortalecer presença de ritmos tradicionais no São João de Petrolina e critica “invasão”

Vereador quer que 70% da programação seja com forró e ritmos tradicionais (Foto: Divulgação)

Na sessão de terça-feira (7) o vereador Gabriel Menezes (PSL) apresentou um projeto de lei que busca proteger os artistas que propagam o autêntico forró. Através do PL nº 067/2019 ele quer que o município estipule o percentual de 70% à participação de Cantores Forrozeiros, Bandas de Forró e Grupos Culturais que representem as Tradições Juninas do Nordeste no São João de Petrolina.

“Julgo necessário para que a gente possa proteger quem realmente está comprometido com a tradição junina, quem vive com muita dificuldade e se dedica a tocar o legado de Luiz Gonzaga, Dominguinhos e muitos artistas que já caíram no esquecimento por conta dessa invasão de outros ritmos“, disse ao Blog.

O edil também questionou a grade de programação da festa no Pátio Ana das Carrancas esse ano, alegando que se o seu projeto for aprovado e virar lei, as tradições do mês junino serão fortalecidas.

“Eu gosto do sertanejo, do axé e da música eletrônica. Gosto muito do DJ Alok e das ações sociais na sua vida pessoal, mas tudo tem seu momento. Não é que eu seja contra, nosso projeto pede que seja estipulado um percentual de 70%, os outros 30% seriam reservados a atrações de outros ritmos. A gente precisa proteger as nossas tradições”, afirmou.

Manutenção da tradição

Consciente de que talvez seu projeto não aprove – já que a Bancada da Situação é maioria na Casa Plínio Amorim – o vereador da Oposição destacou ser necessário passar um recado aos gestores públicos.

“A gente precisa dizer aos gestores públicos que São João é com forró. Nós teremos nove noites de festa, com cinco atrações por noite e observem a quantidade de atrações que não tocam forró. A gente não pode permitir, porque além de não tocar forró, têm cachês tão altos”, pontuou.

“Máquina de fazer dinheiro”

De acordo com o vereador, o São João do Nordeste virou uma máquina de fazer dinheiro, o que contribui para a mudança drástica nas programações de Petrolina, Caruaru e outros municípios conhecidos por suas grandes festas. “As festas de São João viraram grandes negócios, os empresários estão focados no São João do Nordeste. O interesse financeiro acaba se sobrepondo aos interesses da população de manter a chama da cultura”, finalizou.

Um Comentário

  • Peterson

    11 de setembro de 2019 at 13:47

    Os fanfarrões no legislativo e executivo não irão permitir por que esse projeto tira dinheiro do bolso dos empresários e por conseguinte de muitos políticos, a não aprovação vai ser apenas mais um bofete na cara dos trouxas eleitores.

    Responder

Deixe uma resposta