Geraldo da Acerola perde reeleição mas PT mantém dois vereadores em Petrolina

oie_4124047camoolwa

Vereadora Cristina Costa foi reeleita e professor Gilmar Santos assume cadeira na Casa Plínio Amorim.

A Câmara Municipal de Petrolina terá a partir de 2017, vinte e três vereadores, destes, dois serão do Partido dos Trabalhadores (PT). A vereadora Cristina Costa foi reeleita para mais um mandato com 1.856 votos. A segunda cadeira será ocupada pelo Professor Gilmar Santos. O vereador Geraldo da Acerola não conseguiu se eleger, ele obteve apenas 670 votos que o tirou da legislatura.

A novidade do partido é o professor Gilmar Santos que em 2012 havia se candidato e não se elegeu, mesmo tendo obtido 1.661.

Educador, ligado aos Movimentos Sociais, com um projeto de mandato coletivo construído ouvindo a população e partilhando nas redes sociais, o professor Gilmar conseguiu se eleger com 1.622 votos.

Em discurso após a divulgação do resultado, a vereadora Cristina Costa, bastante emocionada pela sua reeleição, agradeceu a militância e desabafou: “Nós enfrentamos uma das campanhas mais difíceis principalmente pela ausência de Isabel Cristina, principalmente para mim, e por termos de enfrentar as máquinas poderosas dos nossos adversários. Mas a minha alegria reinou ao perceber que nós mantivemos as duas vagas que o PT tinha na Câmara de Vereadores e vamos continuar a luta defendendo os trabalhadores e as trabalhadoras”.

Na manhã de ontem (03), em entrevista à Rádio Jornal  o professor Gilmar agradeceu os votos recebidos. Lembrou que não é apenas um voto, mas a participação na construção do mandato.  “A gente apresentou um projeto de mandato coletivo em nossa campanha e fica muito feliz porque em 2012 a gente entrou nessa luta, nessa batalha eleitoral e pode perceber a expressão de carinho, de consideração, a energia bonita dos eleitores que se envolveram em nossa campanha. Uma campanha pequenininha em relação a estrutura, enfrentando na verdade uma estrutura econômica baseada numa cultura da compra de votos que aqui em nossa cidade, infelizmente ainda é muito forte. E lamentamos que essa prática ainda aconteça. De forma limpa e honesta, sem poluir o ambiente conversando com as pessoas, apresentando as nossas propostas de uma política diferente para que o povo volte a acreditar na participação popular”, disse.

Com informações do Ponto Crítico.

Deixe uma resposta