Gestores e estudantes da Facape participam de audiência pública na Assembléia Legislativa de PE sobre o Proupe

A eficácia e a requalificação do Programa Universidade para Todos em Pernambuco foram debatidas em audiência pública/ Fotos: ASCOM

A eficácia e a requalificação do Programa Universidade para Todos em Pernambuco foram debatidas em audiência pública/ Fotos: ASCOM

Estudantes, gestores das 13 autarquias pernambucanas, docentes e deputados se reuniram para discutir o atraso, a eficácia e a requalificação do Programa Universidade para Todos em Pernambuco (Proupe). A audiência pública aconteceu na Assembleia Legislativa do Estado (Alepe) e foi organizada pela Comissão de Educação da Casa e pela Associação das Instituições de Ensino Superior de Pernambuco (Assiespe).

A Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) esteve representada pelo diretor acadêmico, Antonio Habib, e pelos estudantes Stallone Davi Lima e Adila Naiade Britto. Todos usaram a tribuna da Alepe para cobrar do Governo do Estado e dos próprios parlamentares a regularização dos repasses, atrasados desde fevereiro, e a abertura de editais para concessão de novas bolsas.

“A oportunidade do estudante sertanejo é a educação. O Proupe contribui não apenas para o ingresso do jovem ao Ensino Superior, mas também cumpre um papel social muito importante. Lamento a ausência da secretária estadual de Ciência e Tecnologia e da maioria dos deputados desta Casa. Todos devem se engajar nessa luta a favor do nosso estudante, da educação”, destaca Habib.

Participaram da audiência pública os integrantes da Comissão de Educação da Alepe. A secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação foi representada por Rosely Bastos.

 Para o estudante Stallone Lima, que cursa Direito na Facape e é integrante do DCE (Diretório Central dos Estudantes), o governo não trata a educação como prioridade.”Falar sobre o Proupe é falar sobre o sonho de milhares de estudantes de concluir o ensino superior. O governo não tem dado importância à educação. Em conversa com o vice-governador em Petrolina, ele nos falava em crise, mas eu, como estudante e trabalhador, não aceito essa justificativa. Não podemos aceitar nenhum tipo de retrocesso”, pontua.

A estudante de Serviço Social e vice-presidente do DCE da Facape, Adila Naiade, ressalta a importância do programa para os estudantes do interior. “Sou bolsista do Proupe e sei quanto o corte nas bolsas pode afetar minha vida e a de centenas de estudantes da Facape e do interior do Estado. Nós não podemos pagar por essa crise. Se houver cortes, haverá resistência”, disse.

Encaminhamentos

Como resultado, os parlamentares sugeriram alguns encaminhamentos para os próximos dias, como a realização de uma reunião em caráter de urgência com o Governo do Estado, estudantes, professores e Assiespe – tendo a Comissão de Educação como mediadora – para discutir os seguintes pontos: pagamento das bolsas em atraso, retomada dos editais, atualização dos valores dos benefícios, reformulação da lei do Proupe (Lei Estadual 14.430/2011) e definição na Lei Orçamentária Anual (LOA) do percentual destinado ao programa.

Com informações da FACAPE

 

Deixe uma resposta