Gilmar Santos afirma que comportamento da Situação foi “vergonhoso” ao rejeitar audiência pública sobre regularização fundiária

(Foto: Blog Waldiney Passos)

A bancada de Situação derrubou por 16 votos a 4 o Requerimento nº 295/2019, apresentado pelo vereador Gilmar Santos (PT), causando estranheza petista e colegas de Oposição. Gilmar solicitava a realização de uma audiência pública para debater a regularização fundiária de Petrolina, mas a base governista refutou a solicitação com o argumento de que a Prefeitura de Petrolina já está entregando Títulos de Posse aos petrolinenses.

“O comportamento dos vereadores da Situação em relação aos dois Requerimentos é vexatório, é vergonhoso e contraria o interesse da população. Petrolina tem um histórico de ocupações, diversos bairros se iniciaram com ocupações. Diversos deles não têm regularização fundiária. Outras áreas são alvo de especulação imobiliária e isso contribui para fraudes. Isso só acontece porque não tem uma regularização fundiária efetiva”, afirmou Gilmar após ter seu pedido rejeitado.

LEIA TAMBÉM:

Após longo debate, Câmara derruba Requerimentos da Oposição

Para o edil é contraditório os colegas de Casa Plínio Amorim terem realizado uma audiência pública há poucas semanas tendo o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida e agora rejeitar o debate sobre a regularização fundiária.

“Os vereadores falaram que iam votar contra porque o prefeito já deu o Título de Posse. Isso não é suficiente para se garantir a regularização. Tivemos uma audiência pública sobre o Minha Casa, Minha Vida (MCMV) clamando para que as autoridades combatam as fraudes e tivemos a mesma Câmara que disse que tinha compromisso com essas pessoas, votando contra o interesse delas“, finalizou.

Voto consciente

Durante a votação do Requerimento o vereador Ronaldo Silva (PSDB) – da base governista – que propôs a audiência sobre o MCMV foi contra a bancada e apoiou a reivindicação de Gilmar. “Foi feita uma audiência pública aqui há pouco tempo, foi um sucesso e eu voto a favor”, disse ao anunciar seu voto.

Deixe uma resposta