Grupo preso em concurso para agente penitenciário planejava fraude em prova do Detran

Todos candidatos que participaram do esquema foram liberados após o pagamento da fiança. (Foto: Arquivo)

O grupo que foi preso nesse domingo (1º), por articulação de esquema de fraude no concurso para agente penitenciário do Ceará, planejava atuar no concurso do Detran, segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

No total, 22 pessoas foram detidas com materiais como pontos eletrônicos, anotações referentes a negócios ilícitos, uma arma de fogo e munições. O grupo foi desarticulado pela operação intitulada “Boa Fé”, que teve início há cerca de um mês através da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas organizadas (Draco).

Durante o concurso para agente penitenciário, três homens foram presos e apontados como gerenciadores do grupo e, além disso, 19 candidatos tiveram a tentativa de fraude frustrada. “Com essas prisões, nós conseguimos evitar que pessoas mal intencionadas assumissem um cargo tão importante”, afirmou Harley Alencar.

Fraude

Um dos líderes do esquema respondia as provas e depois enviava as respostas por mensagem de celular para outros envolvidos. Após as informações serem repassadas, os candidatos recebiam o gabarito por meio dos pontos eletrônicos.

Depois da aprovação no concurso, quando assumisse a vaga, a pessoa deveria pagar dez vezes o valor do salário ao grupo. Mesmo assim, uma quantia deveria ser antecipada antes do certame.

Todos candidatos que participaram do esquema foram liberados após o pagamento da fiança, que custou R$ 5 mil a cada um, mas seguem respondendo ao processo.

Deixe uma resposta