Hospital Dom Malan de Petrolina se manifesta sobre morte de bebê nesta terça

“A equipe médica do hospital ressalta que o caso trata-se de uma fatalidade” (Foto: Arquivo)

Uma denúncia chamou atenção para um novo caso de morte de bebês no Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina, nesta quarta-feira (9). Através de nota, o hospital afirmou que o caso foi uma “fatalidade”.

O tio das crianças, Pedro Portugal esteve na Rádio Jornal, para denunciar a morte de um dos seus sobrinhos (gêmeos) na manhã de hoje (9) e sobre o quadro de saúde da sua cunhada Shislane Milhomens Cavalcante.

Através de nota, o hospital informou que o quadro da mãe das crianças era “normal” e que ela demorou a iniciar o trabalho de parto, ficando internada de sábado (5) até terça-feira (8), iniciando o trabalho de parto na manhã de hoje (9).

Veja a nota na íntegra:

“O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina informa que a paciente Shislane Milhomens Cavalcante deu entrada na unidade materno-infantil no dia 05 de agosto (sábado), onde foi verificado através de ultrassom e exames clínicos uma gestação gemelar de 37 semanas, com 5cm de dilatação, bolsa íntegra e ausência de trabalho de parto; tendo a paciente evoluído até o dia 08 (terça-feira) com o mesmo quadro. 

Somente hoje (09) pela manhã, às 6h40, a paciente entrou realmente em trabalho de parto, quando foi reavaliada mais uma vez pela equipe médica e indicada a cesariana por precaução, que aconteceu 20 minutos depois, às 7h da manhã. 

Infelizmente um dos bebês nasceu grave e veio à óbito pela possível causa de hipóxia intrauterina, provavelmente provocada pela própria complicação da gestação gemelar, que por si só já apresenta riscos em dobro. 

A equipe médica do hospital ressalta que o caso trata-se de uma fatalidade, já que nenhuma situação de agravo foi identificada na evolução da paciente. Em momento algum mãe e bebês apresentaram sinais de alteração que pudessem indicar uma situação de risco ou apontar um desfecho desfavorável.

Em tempo, o Hospital Dom Malan solidariza-se com a família, se coloca à disposição para maiores esclarecimentos e ressalta que toda a assistência necessária continua sendo prestada. Mãe e bebê vivo passam bem”.

Deixe uma resposta