Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina apoia a campanha “Fevereiro Laranja”

(Foto: Internet)

Como de costume, o Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina (PE) apoia uma nova causa. Este mês, a unidade materno-infantil está engajada na campanha “Fevereiro Laranja” – um alerta para o combate a leucemia (tipo de câncer sanguíneo). ​
​​
“A iniciativa tem como objetivo estimular o diagnóstico precoce e a doação de medula óssea, pois a leucemia é uma doença que se inicia justamente nesse local, onde o sangue é produzido”, esclarece a oncologista pediátrica do HDM, Michelle Ribeiro. ​
​​
Esse tipo de câncer acomete os leucócitos, também conhecidos como glóbulos brancos, que começam a se reproduzir de maneira descontrolada, dando início aos primeiros sinais da leucemia, que são: anemia, palidez, sonolência, fadiga, palpitação, sangramentos na gengiva e nariz, manchas roxas na pele ou pontos vermelhos.​
​​A doença possui uma classificação própria, de acordo com a velocidade da divisão das células, sendo crônica quando se desenvolve lentamente e aguda quando é mais rápida. O diagnóstico é feito por uma avaliação médica e por meio da coleta de medula óssea para exames específicos. Em geral, o tratamento inclui a quimioterapia e pode ser indicado também o transplante.​
​​
“O transplante de medula óssea realmente pode salvar a vida do paciente, e é uma chance de cura da doença. Em Petrolina, o cadastro de doador pode ser feito no Hemope e as células coletadas para o transplante são cadastradas no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea [Redome], podendo beneficiar um receptor compatível em qualquer parte do Brasil”, informa. ​
​​
No dia a dia, o paciente com leucemia necessita de cuidados especiais, além do tratamento. A quimioterapia reduz a imunidade do paciente e, por isso, a recomendação é que ele evite lugares públicos, principalmente durante o tratamento da leucemia aguda. Após a cura, a vida pode voltar a ser completamente normal.​
​​

Dados​

​​De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a incidência da leucemia em Pernambuco foi de 5,08 novos casos a cada 100 mil habitantes do sexo masculino, e de 3,88 a cada 100 mil habitantes do sexo feminino. Os dados correspondem à estimativa (taxa bruta) de 2018.  ​

O HDM é responsável em Petrolina por prestar atendimento hospitalar ao público infantil com leucemia, dando apoio à APAMI. No serviço é feito o tratamento com quimioterapia e terapias de suporte.

Deixe uma resposta