Hospital Dom Malan/IMIP emite nota sobre denúncia de negligência em parto de adolescente em Petrolina

(Foto: arquivo)

Uma nova denúncia sobre a morte de um bebê no hospital IMIP Dom Malan chocou os moradores da região nesta segunda-feira (6). O blog ‘Petrolina em destaque’, divulgou uma denúncia de familiares de uma adolescente de 15 anos, que deu à luz a um bebê morto, devido a complicações no parto, que segundo o blog, a causa seria demora no atendimento a adolescente.

Entramos em contato com o Hospital Dom Malan/IMIP, que emitiu uma nota de esclarecimento sobre o ocorrido com a jovem. Veja a nota na íntegra:

O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina informa que a paciente teve seu primeiro atendimento registrado na unidade materno/infantil às 21h56, do dia 03 de março (sexta-feira), com queixa de dor e perda de tampão mucoso.

A avaliação feita pela equipe ginecológica/obstétrica de plantão constatou que ela apresentava 2 cm de dilatação, pressão arterial normal, com batimentos cardíacos da mãe e bebê também normais. Ou seja, um início de trabalho de parto de baixo risco, sem nenhuma intercorrência e/ou indicação para cesariana.

Às 2h20 da manhã do dia 04, durante a ausculta fetal, surgiu a suspeita de um Descolamento Prematura da Placenta (DPP) devido à ausência de batimentos cardíacos do bebê, mesmo a mãe não apresentando outros sintomas típicos do caso, como sangramento ou “barriga dura”.

A mãe foi então encaminhada para o bloco cirúrgico, onde a DPP foi comprovada, sendo esta a causa do óbito fetal.

No momento, a paciente se encontra na enfermaria ginecológica aguardando resultado de exames para posterior alta hospitalar.

O Hospital Dom Malan/IMIP ressalta que não houve negligência ou demora na realização da cesárea, visto que não havia indicação clínica para o procedimento; bem como ratifica que a paciente foi (e continua sendo) assistida por uma equipe multiprofissional preparada para oferecer o acolhimento necessário neste momento.

Ainda em tempo, a unidade materno/infantil destaca que é totalmente solidária à família diante da fatalidade ocorrida.”

Deixe uma resposta