HU-Univasf participará do II Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária

(Foto: Internet)

O primeiro Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária ocorreu no ano de 2012 e beneficiou mais de 500 mulheres. (Foto: Internet)

No Brasil e no mundo o câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres. Só no ano de 2015 mais de 50 mil casos foram registrados por todo o país. Nos últimos cinco anos, de acordo com o  Sistema Único de Saúde (SUS), cerca de 63,5 mil mulheres fizeram cirurgia de remoção dos seios para tratamento da doença.

No entanto, poucas dessas mulheres sabem que o próprio SUS disponibiliza a cirurgia de reconstrução da mama. E, pensando em contribuir com a qualidade de vida e auto estima dessas mulheres, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) idealizou a realização de mutirões no Brasil.

O primeiro Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária ocorreu no ano de 2012 e beneficiou mais de 500 mulheres. Este ano, o evento acontecerá entre os dias 24 e 29 de outubro, mês dedicado a prevenção e combate ao câncer de mama. Pela primeira vez em Petrolina (PE), o mutirão está sendo organizando pelos cirurgiões plásticos do HU-Univasf em parceria com outros profissionais da região, que se voluntariaram para integrar às equipes cirúrgicas.

As mulheres interessadas em se submeterem ao procedimento cirúrgico devem procurar o Ambulatório do HU-Univasf no dia 23.09 (sexta-feira) para passarem por uma avaliação e seleção. “Analisaremos as pacientes do ponto de vista clínico. Elas precisam estar com a doença controlada e liberadas pelo oncologista. Também estamos aguardando a informação de quantas próteses serão liberadas para a cidade para definirmos o número exato de procedimentos a serem realizados”, explicou o cirurgião plástico, Rafael Barreto.

Rafael Barreto ainda ressalta o impacto positivo que esta cirurgia reparadora causa na vida das pacientes. “A qualidade de vida da mulher muda completamente em termos de auto estima e de aceitação. Muda a relação com o parceiro, com o trabalho e na vida social de forma geral. Para a mulher a mama representa a feminilidade. A questão estética é muito importante e extremamente benéfica”, afirmou.

Deixe uma resposta