II Festival do Doce de Leite é sucesso em Juremal

juremal

Com o objetivo de diversificar e divulgar os produtos fabricados a partir do leite (cabra e vaca), oportunizando capacitação aos produtores de Juremal e região, a prefeitura de Juazeiro através da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA), em parceria com a Associação de Desenvolvimento Econômico e Social de Juremal (ADESJUL) realizou no último final de semana (16, 17 e 18) o II Festival do Doce de Leite do distrito.

Dezenas de doceiras de Juazeiro expuseram suas iguarias durante os três dias de evento que reuniu centenas de visitantes e apaixonados pelos produtos da terra. Além dos mais variados doces (leite, banana, batata, goiaba, abóbora, umbu, mamão, coco) também foram expostos e comercializados geleias, bolos, cocadas, sorvete, compotas de frutas, sucos, licores e biscoitos.

Na ocasião, a doceira de Juremal Nádia Xavier Santana, falou da importância do evento para o município. “Participar pela segunda vez do festival é muito prazeroso e divertido, pois além de divulgar os nossos produtos é uma atração para nossa região que fica bem mais conhecida. Esse ano a movimentação foi maior e nós obtivemos uma renda a mais vendendo praticamente todos os produtos, graças a Deus”, frisou.

Já para a doceira Osvaldina Gonçalves Evangelista, o evento é um momento de confraternização e felicidade. “Há anos comercializo os doces que faço com muito amor e dedicação, um orgulho na minha vida. Durante o festival temos a oportunidade de interagir ainda mais com as outras doceiras e os visitantes que vieram nos prestigiar”, declara.

A presença dos estandes das instituições parceiras abrilhantou ainda mais o evento. De acordo com o coordenador financeiro do Centro Público de Economia Solidária Sertão do São Francisco (CESOL-SSF), Jailton Pereira dos Santos, essa é uma excelente oportunidade para demonstrar as iguarias produzidas no sertão do São Francisco. “Hoje estamos expondo produtos de dez municípios – de Canudos a Campo Alegre de Lourdes, acredito que é um grande momento para comercializar e divulgar os artigos das associações que nós abraçamos”, afirmou.

Durante o evento três figuras ilustres do distrito foram homenageadas: o comerciante João Ferreira de Souza (Neném da Maroca) – in memoriam, antigo dono do armazém local, considerado um homem trabalhador e caridoso, pois ajudava os moradores de baixo poder aquisitivo; o vendedor de doces, Givaldo Félix de Araújo (Chiada), que apesar de suas limitações psicológicas é um dos grandes responsáveis por levar os doces para serem comercializados em Juazeiro e cidades circunvizinhas; e por fim, a doceira Maria Ribeiro da Silva (Mariinha), senhora de 76 que sustentou seus filhos produzindo e comercializando doces em Juremal e nos distritos de Massaroca, Carnaíba do Sertão e sede do município.

Para o presidente da Associação de Desenvolvimento Econômico e Social de Juremal (ADESJUL), Frank Weliton Evangelista Chaves, o evento além de incentivar as doceiras da região a expor seus produtos, visa resgatar a cultura do distrito, através das homenagens prestadas. “Acredito que as doceiras precisam se organizar melhor, para que essa atividade possa ultrapassar as fronteiras do município e do próprio estado. O festival foca na questão econômica das doceiras e também no reconhecimento de quem faz parte dessa cadeia, que vai desde os criadores de cabras e vacas (produção do leite) aos vendedores que levam os produtos para serem comercializados na sede do município”, disse.

Este ano o evento teve uma grande novidade – o doce sem açúcar que atende os consumidores que não podem ingerir glicose. O festival também contou com a participação das comunidades de Curral Novo e Jacaré (Massaroca) que apresentaram seus deliciosos doces e sequilhos. “O festival se consolida nesse segundo evento como um sucesso de público e de vendas. Mesmo com apenas um ano de existência, o evento já tem o seu papel social, econômico e cultural no resgate da economia e culinária local. Um momento que proporciona a geração de renda em todos os setores do distrito”, afirmou o diretor de pecuária da SEAPA e coordenador do festival, José Wilson Chaves (Chaveco).

Descerramento da placa

Na ocasião foi realizado o descerramento da placa inaugural que intitula o nome da rua do antigo armazém local de João Ferreira de Souza (Neném da Maroca). Um momento que reuniu os filhos de Juremal e emocionou a todos os presentes. “Aproveitamos a oportunidade em que estamos resgatando a história e confraternizando com os filhos de Juremal para realizar esse ato simbólico, uma grande festa”, finalizou Chaveco.

Com informações de Ascom

Deixe uma resposta