INEMA alerta agricultores para não plantarem na vazante do Lago de Sobradinho

Produtores Sobradinho

Os agricultores foram advertidos, pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), a não plantarem na área de vazante do lago, a área que fica exposta com a baixa vazão e uso de agroquímicos. Diante das notificações, as famílias, que dependem da agricultura, clamam por alternativas para que não deixem de plantar e, consequentemente, percam a sua fonte de renda.

Na próxima terça-feira (12), no auditório da Codevasf de Juazeiro (BA) a partir das 9h, o Consórcio Sustentável do Território do São Francisco (Constesf) reunirá instituições de ensino, órgãos fiscalizadores, autoridades políticas, organizações públicas e agricultores, para debater o problema que está afetando os produtores rurais da Borda do Lago de Sobradinho.

O objetivo do evento é analisar, de forma emergencial, a situação crítica do Lago de Sobradinho e os municípios que sofrem com a crise hídrica, discutir e propor alternativas e soluções para eliminar os efeitos da degradação no Rio São Francisco, no entorno do Lago de Sobradinho, por uso de agrotóxicos. O debate busca, também, identificar possibilidades para as famílias dos agricultores no trato com o uso de agroquímicos.

Para o diretor de projetos do Constesf e organizador do encontro, Frank Chaves as notificações realizadas pelo INEMA, obedecem à Lei Ambiental, e servem para descobertas de outros problemas enfrentados por estes agricultores ao longo do tempo.

“Realizamos uma audiência pública, em dezembro 2015, que está proporcionando que esta discussão seja feita de forma abrangente envolvendo agricultores, órgãos e instituições e a Sociedade Civil. Entre as soluções propostas pelos agricultores está a instalação de canais de aproximação com o poder público, para viabilizar a captação de água com uma distancia de 10 a 15 quilômetros, de forma que beneficiasse todos os produtores. Este problema é de todos nós, é econômico, social e ambiental”, salientou Chaves.

Deixe uma resposta