Insatisfação de delegados aumenta crise na segurança em Pernambuco

Profissionais de segurança de Pernambuco estão insatisfeitos

Profissionais de segurança de Pernambuco estão insatisfeitos/ Foto: JC Imagens

A crise no programa de segurança Pacto pela Vida aumenta a cada dia. E o crescimento desenfreado da violência em todo o Estado não é mais o único problema que o Governo precisa enfrentar. Os profissionais da segurança estão insatisfeitos e desmotivados. A categoria dos delegados é o principal exemplo. A constante troca de delegacias, anunciada sem negociação, segundo eles, é arbitrária e vem trazendo prejuízos para as investigações em andamento. Com tantos problemas,crescem os rumores de que o secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, deixará o cargo.

A “dança das cadeiras” imposta pela Chefia da Polícia Civil e pela Secretaria de Defesa Social (SDS) não é de hoje. Mas delegados ouvidos em reversa pelo RondaJC afirmam que a atitude tem se intensificado nos últimos meses por conta dos resultados negativos do Pacto pela Vida. Há profissionais que em um período de aproximadamente um ano já trocaram de endereço pelo menos três vezes. E as remoções de muitos deles são comunicadas sem justificativa.

“O Pacto está falido e eles (cúpula) não sabem o que fazer. Com tantas trocas, estão desestimulando todo mundo”, desabafou um delegado. “Alessandro Carvalho (secretário) manda e desmanda nas polícias. Pede a transferência de delegacias por besteira”, disse outro.

Prejuízo às delegacias especializadas

As delegacias especializadas são as mais prejudicadas com as mudanças. A Delegacia de Polícia do Meio Ambiente, responsável  por investigar principalmente os maus-tratos aos animais, não tem mais delegado titular.

A Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, outra anunciada com festa no Palácio do Campo das Princesas em 2013, está praticamente fechada. Ainda não tem sede própria, está constantemente trocando de titular e os casos denunciados à especializada são repassados com frequência para delegacias de bairro.

Do JC online

Deixe uma resposta