Juazeiro alcança em 2015 a meta projetada para o IDEB 2021

ideb
Nesta quinta-feira (8) o Ministério da Educação (MEC) divulgou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015. O resultado apontou que as séries iniciais da rede de ensino municipal de Juazeiro (BA) não só superaram a meta estabelecida pelo MEC, como atingiram a esperada para o Ideb 2021. A média de 4,9 deixa Juazeiro empatada com o município de Teixeira de Freitas, ambas ficam em 1º lugar no ranking do Ideb no comparativo entre as 10 maiores cidades da Bahia, incluindo Salvador.
Em 2007 o Ideb de Juazeiro era 3,4. O prefeito Isaac Carvalho, atribuiu essa evolução à reestruturação da educação municipal iniciada em 2009, na sua primeira gestão. “Todo investimento que estamos fazendo na educação é com o objetivo de melhorar os indicadores de aprendizagem e assegurar o direito de aprender de cada aluno”, explica o prefeito. Ele ainda menciona os grandes responsáveis pelo êxito das escolas municipais no Ideb. “O resultado é também um reconhecimento da competência e dedicação dos nossos professores, coordenadores e gestores”, destaca.

De acordo com o secretário de Educação e Esportes do município, Clériston Andrade, algumas escolas municipais conseguiram resultados acima da média dos países desenvolvidos. A Escola Municipal de 1º Grau Professora Maria de Lourdes Duarte, por exemplo, obteve a nota 6,5. “Todos que lidam com Educação sabem: os resultados não são imediatos, eles demandam persistência e convicção na execução de um projeto. Estamos começando a colher bons frutos”, diz satisfeito.
O Ideb foi criado em 2007 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A iniciativa tem o objetivo de reunir em um só indicador dois conceitos importantes para definir a qualidade em educação: fluxo escolar e médias de desempenho nas avaliações. O índice é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos pelo Censo Escolar, e as médias de desempenhos das avaliações do Ideb, no caso dos municípios é a Prova Brasil.
Com informações de Ascom

Deixe uma resposta