Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Juazeiro: Deputado Tum e Comissão de Meio Ambiente da ALBA vistoriam barragem do distrito de Pinhões

(Foto: Ascom)

Motivado pelas informações oriundas de um relatório da ANA – Agência Nacional de Águas, de dezembro de 2018, que apontou problemas em quase 50 barragens no País, o Deputado Tum (PSC), esteve na manhã de segunda-feira (15), visitando o açude do distrito de Pinhões, zona rural de Juazeiro (BA).

Tum esteve acompanhado do Presidente da Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos, Deputado José de Arimatéia (PRB), e dos deputados Zó (PCdoB) e Laerte do Vando (PSC), membros da Comissão, e do Assessor Técnico da Comissão, o Engenheiro Eduardo Macário.

Quem fez a apresentação dos problemas existentes no açude, que se resumem à falta de manutenção, foi o técnico do DNOCS, Rubenilson Carvalho Souza, destacando a falta de limpeza periódica da vegetação no entorno do açude e a recuperação da base. “O Açude de Pinhões está na cota de sangria, com 100% de sua capacidade” – diz o técnico – O maior problema é exatamente essa erosão do concreto na base de escoamento das águas, quando sangra”, explicou Rubenilson.

Para Tum, o maior problema do Açude de Pinhões “é a burocracia que emperra e dificulta o cuidado e manutenção”. O deputado explica que “quem administra e é de certo modo “proprietário” do açude de Pinhões é o DNOCS, que não tem poder de fiscalização para coibir abuso, agressão por meio de agrotóxicos, retirada ilegal de água. Isso é atribuição do IBAMA, mas o órgão não tem pessoal suficiente para manter vigilância constante”.

Por outro lado, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (INEMA), não pode fiscalizar em área federal. Por isso, Tum defende que “temos de encontrar uma solução permanente para este problema, que pode ser o Governo do Estado assumir a gestão desse equipamento”, finaliza.

Deixe uma resposta