Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Júri popular de estrangeiros acusados de matar engenheiro em bar de Boa Viagem é adiado pela 13ª vez

O engenheiro civil Alison Pereira foi morto por asfixia após entrar em luta com o dono e o gerente do Bamboo. (Foto: Internet)

Foi adiado pela 13ª vez o julgamento dos acusados pela morte do engenheiro civil Alison Pereira, vítima de homicídio qualificado supostamente praticado pelo austríaco Alfred Hartner e pelo alemão Hans Hermann, respectivamente dono e gerente do Bamboo Bar, localizado em Recife (PE), em 26 de fevereiro de 2008. Marcado para a manhã desta segunda-feira (12), o júri foi remarcado para o dia 4 de junho.

O adiamento da sessão desta segunda-feira foi motivado pela ausência do réu Alfred Hartner, que, segundo alegação da defesa, não teria sido oficialmente intimado a comparecer. De acordo com o juiz Júlio Cézar Santos da Silva, da 4ª Vara do Tribunal do Júri da Capital, o réu não foi encontrado no seu endereço residencial.

A promotora de Justiça Rosemary Souto Maior solicitou em plenário a prisão preventiva do réu, devido ao não comparecimento à sessão do júri. “A não localização de Alfred Hartner é lamentável por, mais uma vez, utilizar meios escusos para a não realização do julgamento. Para assegurar a aplicação da lei penal, o Ministério Público requer a prisão preventiva dele como meio legal de garantia da ordem pública e da promoção da Justiça. É oportuno pontuar que essa é a 13ª tentativa de julgamento; e lamentar que no Brasil seja tão difícil julgar pessoas aquinhoadas”, argumentou.

Em contrapartida, a defesa dos réus protestou contra o pedido de prisão preventiva, alegando que o oficial de Justiça não diligenciou suficientemente, tendo comparecido apenas uma vez ao endereço do réu. O magistrado decidiu por indeferir o pedido ministerial. “Lamento que mais uma sessão de julgamento tenha sido frustrada. Entretanto, se deu por motivos alheios às partes. Não tendo ocorrido a intimação do réu, não vejo motivos para decretar a prisão”, complementou o juiz, dando por encerrada a sessão.

Relembre o caso

Segundo o inquérito policial, o engenheiro civil Alison Pereira foi morto por asfixia após entrar em luta com o dono e o gerente do Bamboo Bar, localizado no bairro de Boa Viagem. A vítima teria sofrido ainda uma fratura cervical provocada por um golpe (gravata) desferido por Hans. Os réus foram denunciados pelo MPPE em 2009 pelo crime de homicídio qualificado.

Deixe uma resposta