Lagoa Grande: Assentamento Malhada Real é destaque em Pernambuco pela produção de manga e variedades de uva

(Foto: Cristiano Ferreira)

Agricultores e Agricultoras do Assentamento Malhada Real, localizado no município de Lagoa Grande (PE), comemoram a primeira colheita de manga e novas variedades de uvas produzidas pelo Assentamento desenvolvido por meio do Instituto de Terras e Reforma Agrária do Estado de Pernambuco (Iterpe).

A produção agrícola do assentamento é feita pela Associação de Agricultores e Agricultoras da Malhada Real (Ascamar), através de um crédito fundiário do Banco do Brasil. São 35 hectares de manga Palmer, e sete hectares de uvas, com variedades como a Núbia, Benitaka e Itália melhorada. Ao todo, 12 famílias compõem o grupo de associados da Ascamar, responsável por todo o trabalho de produção, além de 25 pessoas contratadas para auxiliar na produção.

“Nosso assentamento é diferente por que não ficamos esperando só as políticas públicas dos governos federal e estadual, a gente mesmo corria atrás , e o que vinha a gente investia. Nós rompemos muitas barreiras para chegar até aqui”, ressalta o coordenador do Assentamento, Cristiano Ferreira.

No ano passado, os produtores da Ascamar realizaram a primeira Feira da Agricultura Familiar, para esse ano se espera repetir o sucesso do evento, que deve acontecer no mês de maio. De acordo com Cristiano Ferreira a Malhada Real é o primeiro assentamento ligado ao Iterpe que está produzindo manga e uvas de qualidade.

A produção de variedades de uva resultou em 200 toneladas da fruta. A colheita da manga Palmer foi iniciada recentemente e a expectativa é de 400 toneladas. Vale ressaltar que o Assentamento Malhada Real é tido como exemplo em todo o estado de Pernambuco pelo desempenho e resultados alcançados.

“É um assentamento que deu certo, por que nós pegamos o dinheiro e investimos, e agora nós estamos colhendo os bons frutos”, comemora Cristiano Ferreira ao informar que todo o financiamento da compra da área de produção do assentamento já está quitado.

Deixe uma resposta