Levantamento dos custos da criação de caprinos e ovinos em Juazeiro é feito pela Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária

(Foto: Josenaldo Rodrigues)

Reunião discute sobre os custos para criação de caprinos e ovinos em Juazeiro (BA) (Foto: Josenaldo Rodrigues)

Técnicos da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), da EMPRAPA Caprinos e Ovinos, da Federação da Agricultura do Estado da Bahia (FAEB), e do Serviço Nacional da Aprendizagem Rural (SENAR) se reuniram com produtores rurais de Juazeiro esta semana. O encontro foi na sede do Sindicato de Produtores Rurais que fica no bairro Santo Antônio e buscava ensinar aos produtores respostas para questionamentos simples sobre os custos para se criar caprinos e ovinos.

Foram ouvidos, durante todo o encontro, produtores, entidades que prestam assistência técnica e integrantes do sindicato de produtores rurais, com o intuito de ser feito um levantamento do custo da produção da criação de bode e carneiro. Os dados vão servir de base para que o produtor tenha uma melhor orientação em relação ao custo para se criar cada animal da sua propriedade e, dessa forma, passe a gerenciar melhor sua propriedade definindo a maneira mais adequada de criar os animais para obter um melhor lucro.

O trabalho faz parte do projeto Campo Futuro da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária que iniciou em 2008 e está fazendo esse levantamento em todas as atividades rurais.

“Esse trabalho é importante porque vai melhorar a rentabilidade do homem do campo”, disse o secretário do sindicato dos produtores rurais de Juazeiro, Raimundo dos Santos. Para o pesquisador da Embrapa Caprinos e Ovinos, que fica na cidade de Sobral-CE, Fernando Henrique Albuquerque, esse levantamento vai servir de base para pesquisas que possam ser realizadas aqui na região. “Além disso, esses dados levantados aqui em Juazeiro, vão também subsidiar a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária para possíveis suportes a esse sistema de produção, principalmente no aspecto econômico do sistema e a partir daí torná-lo mais viável financeiramente, considerando os custos de produção e as receitas caracterizadas por esse painel”, concluiu Fernando Henrique.

Ricardo Borges da Cunha, coordenador de programas do SENAR (BA), destacou a importância do painel. “O que se busca é uma forma de profissionalizar o seguimento e assim melhorar o sistema de gestão dessas propriedades. É preciso que o produtor entenda que tudo tem custos e tem que ter receitas, para que seja viável o trabalho que ele desenvolve na propriedade”, concluiu Ricardo Borges.

Com informações da ASCOM

Deixe uma resposta