Maternidade de Petrolina deixa de funcionar e causa transtornos na maternidade de Juazeiro

(Foto: SESAU)

Durante a manhã de hoje (22), o Secretário de Saúde de Juazeiro (BA), Plínio Amorim reuniu a imprensa para falar sobre os transtornos causados na Maternidade de Juazeiro, devido ao fechamento da maternidade de Petrolina.

Segundo informações divulgadas, o impacto da superlotação da maternidade desde o último dia 16 de dezembro com o fechamento do Hospital Dom Malan para os atendimentos de baixa e média complexidade nas áreas de pediatria, já ultrapassando os 40% e a obstetrícia os 60% do atendimento na unidade.

Ainda de acordo com Plínio Amorim, existe uma preocupação do município para atender essa alta demanda inesperada. ” O hospital Dom Malan tem sido parceiro, porém a nossa maternidade não tem condições de fazer todos os atendimentos. Já existe uma demanda muito alta, pois atendemos 53 municípios”, explicou o secretário.

A ocasião, o secretário de saúde falou que já buscou ajuda ao Ministério Público para resolver o mais rápido possível essa situação.

” Recorremos com uma representação junto ao nosso jurídico no Ministério Público para que possa ser solucionada o mais rápido possível essa problemática. Esse problema é emergente, pois estamos lidando com vidas e temos o compromisso de oferecer um atendimento de qualidade ao nosso usuário”.

A diretora da unidade, Fabíola Ribeiro, apresentou um levantamento com dados dos atendimentos que chegam a ter um aumento de mais de 50%.
“Nossa média de partos era 250 por mês em 2010, agora temos 412 partos por mês, um aumento de 57% num intervalo de seis dias o que causa grande impacto para o município. Nossa preocupação é com a assistência à população, porque estamos ultrapassando nossa capacidade”, informou Fabíola.

Deixe uma resposta