Médicos de Petrolina avaliam movimento em Assembleia Geral nesta quinta

(Foto: Ilustração)

O movimento de valorização do trabalho médico da rede municipal de Petrolina (PE) vai ter um novo capítulo nesta quinta-feira (17), com a realização da Assembleia Geral, a partir das 10h, na sede do Instituto de Gestão Previdenciária de Petrolina (IGEPREV), Avenida José de Sá Maniçoba, 200, área central da cidade (nas imediações do Hospital Universitário).

Os médicos vão discutir uma pauta de avaliação do movimento da categoria, além das condições de trabalho, reforma nas estruturas das unidades de saúde e recomposição de salários defasados.

Por falta de respostas da gestão municipal de Petrolina, a categoria deliberou por uma paralisação de 72 horas, dos serviços da Estratégia de Saúde da Família, AMEs, além dos centros de especialidades, nos dias 25, 26 e 27 de julho, conforme foi deliberado em assembleia.

Vale salientar que na última segunda-feira (14) o Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) homologou em plenária geral da entidade, o indicativo de interdição ética das Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Pedrinhas e Bebedouro, localizadas em Petrolina.

A decisão foi tomada após fiscalização do Conselho solicitada pelo Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe). Baseado na Resolução CFM Nº 2062/2013 os “estabelecimentos médicos de qualquer natureza, quando não apresentarem condições mínimas exigidas para o exercício ético da medicina estabelecidas na Resolução N° 2056/2013 e de atendimento adequado para população podem ser passiveis de interdição ética”.

Assim, a interdição ética ocorre por falta de adequação do ambiente físico e de edificações que permitam o trabalho médico com salubridade, segurança e inviolabilidade do sigilo profissional. A partir desta medida a gestão municipal das unidades terá que apresentar em até 30 dias um cronograma de regularização, de acordo com as considerações do relatório de fiscalização do Cremepe.

Deixe uma resposta