Mesmo sem previsão de sair da prisão Lula afirma, em carta, que será candidato a Presidente da República

(Foto: Mauro Pimentel/AFP)

Em carta divulgada nesta terça-feira (24) em que reafirma que será candidato ao Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que pretende imitar o gesto de dom Pedro 1º em 1822 e criar o “dia do volto”. “O imperador dom Pedro 1º criou o ‘Dia do Fico’. E eu vou cria do ‘dia do volto’ para, junto com o povo, fazer o Brasil feliz outra vez”. A declaração, destinada ao presidente do sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, foi divulgada nas redes sociais de Lula.

Escrita à mão por Lula, que está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, a carta com folhas numeradas diz que o petista tem certeza que “pode recuperar” o país. “Os adversários sabem que, quando governei o Brasil, foi o melhor momento da nossa história. Por isso, não querem que eu possa ser candidato”, afirma o petista.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro diz que Lula tem “carta no bolso” para ser solto

Condenado em segunda instância, Lula está inelegível em função da lei da Ficha Limpa, que foi sancionada por ele em 2010, último ano de seu segundo mandato. Apesar disso, o PT pretende registrar sua candidatura em 15 de agosto e aguardar o julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre a possibilidade de ele disputar o pleito, marcado para 7 de outubro.

Consultores do PT indicam que a briga por tonar Lula elegível pode se estender para depois da eleição, tendo como limite o dia para diplomação dos eleitos, marcado para 19 de dezembro. O PT tenta nesta semana fechar alianças com PCdoB, PROS e PSB. A possibilidade de Lula não conseguir disputar a eleição já fez o PCdoB, aliado histórico do partido, considerar que o ex-presidente não será o candidato do PT na disputa presidencial.

O PT pretende aguardar definições dos três partidos nas eleições estaduais para analisar a possibilidade de um acerto para apoiar a candidatura de Lula à Presidência.

Deixe uma resposta