MP do Rio de Janeiro afirma que assassinato de Marielle Franco foi planejado três meses antes do crime

(Foto: Internet)

O assassinato da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco (PSOL) foi planejado três meses antes. Foi o que concluiu o Ministério Público do Estado nessa terça-feira (12). Mais cedo dois suspeitos de participação no crime foram detidos.

Segundo a Polícia Civil, Ronnie Lesa que é policial militar reformado foi o autor dos disparos, enquanto Élcio Vieira de Querioz é ex-PM conduzia o veículo utilizado no dia da ação criminosa que terminou também com a morte do motorista de Marielle, Anderson Gomes.

De acordo com o MP e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), “é inconteste que Marielle foi sumariamente executada em razão da atuação política na defesa das causas que defendia”. Para os promotores, o assassinato foi um golpe ao “Estado Democrático de Direito”. Com informações do UOL.

Deixe uma resposta