Música o Brasil dos Invisíveis foi a vencedora do festival Edésio Santos da Canção

(Foto: ASCOM)

A noite do último sábado (02) foi de festa no Centro de Cultura João Gilberto em Juazeiro. Os doze artistas classificados nas eliminatórias subiram ao palco para disputar o prêmio máximo do maior festival de música do Vale do São Francisco. O Festival Edésio Santos da Canção.

No final, os jurados apontaram a música O Brasil dos Invisíveis, de Zebeto Correa, como a grande campeã. O segundo lugar ficou a música Cada Um, de Manuca Almeida e Alexandre Leão, e o terceiro lugar foi para a música Quintal, de Moésio Belfort e Eneida Trindade.

Esse ano o Edésio Santos além de homenagear os 80 anos de Luiz Galvão, homenageou também pessoas que tiveram influência na cena musical de Juazeiro, dando seus nomes aos troféus. 1º lugar foi Troféu Luiz Galvão – 80 Anos de Poesia e Música, 2º lugar: Troféu Moanilton Mesquita Lopes, 3º lugar: Troféu Sargento Bispo, Melhor Música Local: Troféu Antônio Carlos Tatau, Melhor Intérprete: Troféu Toinho de Zé Maguin e Júri Popular: Troféu Hilton Bolão.

O primeiro colocado recebeu R$10 mil reais em dinheiro. O segundo ganhou R$ 8 mil reais e o terceiro R$6 mil reais. O melhor intérprete levou R$ 3 mil, melhor música local ficou com R$ 4 mil e a escolha do Júri Popular levou R$ 1 mil.

Presente no Festival, o prefeito Paulo Bonfim elogiou o evento. “Foi uma festa muito bonita e com participação efetiva do público, o que é mais importante. O Edésio Santos tem vida longa e Juazeiro merece que ele seja realizado, pois está ligado diretamente ao que a cidade respira: música, alegria, cultura. A organização está de parabéns, assim como todos os músicos que participaram”, conclui o Paulo Bomfim.

Para o Músico, Sociólogo e Antropólogo Paulo Soares, a realização do Festival Edésio Santos é uma forma de manter viva a essência musical da cidade. “Há o fortalecimento dessa cultura e isso é muito importante. Além disso, faz com que haja uma interação social, as pessoas se encontram, conhecem outros sons, outros estilos musicais. E o poder público tem mesmo obrigação de fomentar esse tipo de política pública, que oportuniza momentos como o do Festival Edésio Santos da Canção”, disse.

Confira a classificação:

– Primeiro lugar: O Brasil dos Invisíveis, de Zebeto Correa

– Segundo lugar: Cada um, de Manuca Almeida e Alexandre Leão

– Terceiro lugar: Quintal, de Moésio Belfort e Eneida Trindade

– Melhor música local: Perfume do passado, de João Gilberto e Mariano

– Melhor Intérprete: Andreza Santos

– Júri Popular: a música Juazeiranidade, de Fatel.

Deixe uma resposta