Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Novembro Azul: a fase de tratamento e recomeço da vida 

Na última matéria do especial sobre o Novembro Azul o Blog Waldiney Passos visitou o Hospital Dom Tomás (HDT), que apesar de ainda estar com as portas fechadas vem atendendo pacientes em tratamento contra o câncer. Gerenciado pela Associação de Amparo à Materninidade e à Infância (Apami), o HDT está habilitado a receber repasse federal e atender pacientes via Sistema Único de Saúde (SUS), durante uma solenidade na semana passada na sede do hospital.

Durante nossa visita ao HDT conversamos com o médico urologista Josivan Amorim que nos explicou como é o atendimento na unidade. “Aqui a gente todo o suporte para [o tratamento de] diversos tipos de câncer, inclusive o de próstata. É o segundo câncer mais comum no homem, só pede para o câncer de pele e é o segundo tumor que mais mata, só perde para o de pulmão. Sua quantidade por ano no Brasil, cerca de 60 mil novos casos são diagnosticados”, comenta.

A escolha do tratamento

Na Apami ainda não é possível realizar o tratamento por meio da radioterapia, uma das formas indicadas para combater o tumor. Entre as disponíveis, o médico elenca as mais eficazes, a depender do estágio no qual a doença é descoberta.

Hospital Dom Tomás/ APAMI. (Foto: Blog Waldiney Passos)

“Confirmou [a doença] a gente vai fazer a classificação, saber em que fase a doença está e o tipo do tumor e vai escolher as opções de tratamento: cirurgia e hormônio terapia, entre outras que a gente não dispõe na região [do Vale]. A gente sempre escolhe o tipo de acordo com o caso”, destaca.

Apoio da família e amigos

Hoje a internet está presente na rotina de todos e tem sido um mecanismo para pacientes em busca de mais informações a respeito do câncer. Um cenário bem diferente há 15 anos, quando Edgar Pinto descobriu um tumor na próstata.

Carioca, ele reside na cidade no Rio de Janeiro e quando descobriu sua doença resolveu compartilhar suas angústias com outras pessoas através de uma comunidade no Orkut que hoje permanece no Facebook. “Quando fui diagnosticado com CA de próstata havia muito poucos informes sobre a doença na internet, principalmente quanto às opções de tratamento, depois [veio] a questão de apoio aos doentes, pois havia muito mais preconceitos entre os homens”, comenta Edgar.

Equipe multiprofissional

Além da irmandade virtual, Edgar encontrou apoio também em sua família – classificando-se como “um privilegiado” pelo apoio incondicional recebido dos filhos e esposa durante o tratamento – e hoje segue sua vida normalmente, livre do câncer.

O papel da família é crucial, mas para aqueles que moram longe, a Apami em Petrolina tem uma equipe de assistentes sociais e psicólogos à disposição. “A gente tem uma equipe multiprofissional: fisioterapia, psicólogo, terapia ocupacional. A gente procura ter uma gama de atendimentos porque a gente trata o paciente, a gente não trata o câncer”, finaliza Josivan Amorim.

Deixe uma resposta