Número de mortes nas rodovias federais de Pernambuco foi o 2º menor nos últimos 10 anos em 2019

(Foto: Divulgação/PRF)

Apesar de o número de acidentes e de feridos ter aumentado em relação a 2018, a quantidade de pessoas que morreram em decorrência de acidentes nas rodovias federais de Pernambuco foi o segundo menor em 2019, se forem considerados os últimos dez anos. No ano passado, 308 pessoas morreram em decorrência de ocorrências no trânsito nas BRs que cortam o Estado, que totalizaram 2.737 registros de acidentes e 2.851 de vítimas.

De acordo com balanço divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) nesta sexta-feira (7), 2018 teve o menor registro de mortes nas rodovias federais em dez anos, totalizando 294 pessoas. O ano de 2019 vem em seguida. A maior quantidade de falecimentos nas BRs foi contabilizada em 2010, quando 475 vítimas morreram em decorrência de acidentes. Ainda segundo a PRF, as principais causas que contribuíram para o aumento das ocorrências entre 2018 e 2019 foram: não guardar distância de segurança (192 acidentes); falta de atenção do pedestre (146 ocorrências) e ingestão de álcool (249 registros).

Falta de atenção do condutor foi a principal causa de acidentes em 2019, representando 36,7% dos acidentes. Em seguida estão desobediência às normas de trânsito (11,4%); ingestão de álcool (9%); não guardar distância de segurança dos outros veículos (7%) e velocidade acima da permitida na via (5,2%). O tipo de acidente que mais ocorreu foi a colisão traseira, com 21,6%.

Os homens foram as principais vítimas mortas nas rodovias federais, representando 82,1% do total. As rodovias que registraram mais acidentes em 2019 foram a BR-101, com 1.022, seguida pela BR-232, com 817 ocorrências e da BR-428, com 170 registros.

Ações de fiscalização da PRF

Em 2019, 285.069 veículos e 279.857 pessoas foram fiscalizadas. Ao todo, foram emitidas 131.511 multas. As infrações mais cometidas pelos condutores foram ultrapassagens em local proibido (6.798); não uso do cinto de segurança (5.990); falta do capacete (2.261); ausência dos dispositivos de retenção para crianças (869) e uso de celular ao volante (194).

Foram realizados 98.755 testes com o bafômetro, que resultaram em 2.196 autuações e 222 detenções de motoristas. Em 2018, os números foram: 73.803 testes com o bafômetro, 1.729 autuações e 177 condutores detidos.

Com informações do Jornal do Commercio

Deixe uma resposta