“O Colégio Maria Auxiliadora é um obstáculo na investigação”, diz mãe de Beatriz

Nessa terça-feira (10) fez quatro anos do caso. (Foto: Blog Waldiney Passos)

Durante a manifestação dos quatro anos da morte da garota Beatriz, os pais da menina falaram sobre diversas falhas no processo de investigação e apuração do caso. Dentre elas, eles lembraram da omissão do Colégio Maria Auxiliadora, palco do crime que chocou o país.

De acordo com Lucinha Mota, mãe de Beatriz, a escola tem sido um obstáculo na investigação. “Eu tenho mágoa porque a direção do colégio sabia do risco que todos estavam passando naquele dia. Hoje a gente vê que o Auxiliadora, de alguma forma, está tentando atrapalhar as investigações. É a única pessoa que eu vejo hoje como pessoa atrapalhando as investigações”, disse.

Sandro Romilton, pai de Beatriz, também falou sobre a ação conflituosa entre agentes públicos e o Colégio. “Um dos agentes públicos que fez a perícia do Colégio Maria Auxiliadora, por conta própria, decidiu fazer um trabalho também para a escola. A gente acha isso conflituoso, preocupante”.

Desde a ocorrência do crime, o colégio tem sido apontado pela família e por parte da população como um dos responsáveis por atrapalhar as investigações. As imagens das câmeras de segurança da escola que poderiam ter ajudado a elucidar o crime desde o início foram corrompidas e nunca foram recuperadas por completo.

Deixe uma resposta