Odacy afirma que se pudesse só se reuniria hoje com os votantes do impeachment de domingo

Odacy-Amorim-foto-Alepe

O dia do começo da “Decisão Final” está próximo. Isso porque sendo aprovado no Congresso Nacional, será de fato, aberto o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, sendo encaminhado para o Senado. Para que haja a abertura do processo, dois terços dos deputados (342 de um total de 513) devem votar a favor. O membros do PT correm contra o tempo para que o processo pare na Câmara dos Deputados Federais.

Somente esta semana, o deputado Odacy Amorim (PT) deu várias entrevistas em rádios do seu eleitorado a fim de sensibilizar, não só a população da região, mas aqueles que aqui tem representatividade de voto efetiva no Congresso Nacional. Somente no Vale do São Francisco, são três os votantes no próximo domingo (17): Adalberto Cavalcanti (PTdoB) , Gonzaga Patriota (PSB) e Fernando Filho (PSB).

 É a eles que Odacy tem direcionado o discurso. Entre as justificativas para que Dilma não seja colocada para fora do Planalto, o deputado Estadual afirma que para conter a crise, até o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em 2008, teria realizado a prática da chamada “pedalada fiscal”. Segundo a visão do deputado, não seria justo que ela fosse retirada do poder pelo mesmo motivo, prática também cometida por antecessores a ela.

O petista faz um apelo político que aos legisladores de Petrolina para que votem contra o impeachment e chega a ser direto ao afirmar que está usando as armas que tem para virar o jogo, como é o caso do voto do ex-prefeito de Afrânio, Adalberto Cavalcanti “Eu votei em Adalberto e agora eu estou cobrando dele”, enfatiza o deputado sobre o parlamentar que está na lista dos indecisos.

Aos já decididos Fernando Filho e Gonzaga Patriota, o deputado pede que pensem como era o Nordeste há 15 anos. Ele afirma que o Impeachment é “hoje é uma briga de nordeste e Sudeste”, em que as políticas públicas passaram a ser mais intensivas nessa região.

Várias vezes direcionou ao filho do senador  pernambucano, Fernando Filho “que reflita e tenham coragem de votar domingo pelo sentimento de justiça”.

O petista finalizou afirmando que nesses últimos dias de corrida pró-Dilma, gostaria de se reunir apenas com os parlamentares.

 “Se eu pudesse hoje eu só me reunia com três pessoas Fernando Filho, Gonzaga Patriota e Adalberto Cavalcanti” afirma.

Deixe uma resposta