‘Onde Ele Anda É Outro Céu’ leva 450 alunos para o teatro

virabolica

Os últimos dias de aula dessa semana foram diferenciados para algumas escolas de Petrolina, os alunos foram convidados para uma apresentação de dança contemporânea, uma linguagem que poucos conheciam. O projeto da ‘Qualquer Um dos 2 Cia. de Dança’ recebeu seis grupos, entre escolares e sociais, no Teatro Dona Amélia, com o espetáculo ‘Onde Ele Anda É Outro Céu’.

Na quinta-feira (25), as cadeiras do “Dona Amélia” foram ocupadas por cerca de 200 alunos das escolas ‘Eduardo Coelho’ e ‘Dom Malan’, além do grupo que cursa a Educação de Jovens e Adultos do Sesc Petrolina. Já na sexta-feira (26), foi a vez da Escola Moisés Barbosa e da Educação Infantil do Sesc levarem seus alunos, em uma apresentação que também foi assistida pelos participantes do grupo de terceira idade ‘Novos Horizontes’, contabilizando 250 pessoas na plateia.

A professora Rita Barros diz que achou muito interessante acompanhar seus alunos ao teatro, já que muitos não são levados pelos pais, e lembra contente que até os mais hiperativos ficaram quietos, prestando atenção na cena. Rita afirma acreditar que a arte contribui muito para o aprendizado. “A arte quebra barreiras e isso ajuda no rendimento escolar deles. Até em relação ao preconceito, pois muitos acreditavam que homem não podia dançar”, comenta a professora sobre a reação das crianças ao verem o espetáculo dançado por André Vitor Brandão.

O bailarino explica que essa parte do projeto foi pensada para incentivar o aumento de público para atividades culturais, já que se nota uma diminuição nos últimos anos e ele acredita que parte disso é por conta da falta de incentivo por parte das instituições de ensino. “A maioria das escolas não entendem a arte como área do conhecimento humano e que a mesma é essencial para a construção de um sujeito crítico”, afirma Brandão. Sobre estar no palco para esse público, ele diz que as sessões foram muito impactantes. “Após o espetáculo, pude conversar com os alunos e colher depoimentos emocionantes de como o espetáculo pôde emocioná-los, fazendo-os exercitar suas dimensões sensíveis e subjetivas, tão desvalorizadas no mundo de hoje”, completou o artista.

A ação faz parte de um projeto que proporcionou a montagem do espetáculo apresentado, contando com o incentivo do Funcultura do Governo do Estado de Pernambuco. Este mesmo trabalho continua em temporada para o público em geral no sábado (27) e domingo (28), com sessões gratuitas às 20h, também no Teatro Dona Amélia. Acesse o blog ondeeleanda.blogspot.com e saiba mais detalhes.

Deixe uma resposta