Osinaldo comemora isenção de pagamento do IPTU para templos religiosos alugados em Petrolina

Como a lei federal já garante a isenção de pagamento do IPTU para os templos religiosos próprios, o município de Petrolina resolveu, através de lei, isentar também do pagamento os templos alugados no município para todas as denominações religiosas.  A gestão municipal sai na frente até mesmo da Câmara Federal onde tramite uma proposta com o mesmo teor.

Para o vereador Osinaldo Souza “Essa é uma batalha antiga que a gente vinha lutando  desde do meu último mandato, ou seja, quase 10 anos praticamente solicitando ao ex-prefeito Júlio Lossio, eu sei que muitos solicitaram a prefeitos até anteriores, mas agora Miguel vai e atende o pleito da bancada evangélica e de demais vereadores”, disse.

“Portanto é uma vitória que a gestão do prefeito Miguel Coelho vem reconhecer às pessoas que professam a sua fé, independentemente de quem seja, Miguel atende esse pleito. As igrejas evangélicas serão beneficiadas, as igrejas católicas , os templos espíritas, de todas as religiões, são beneficiados com essa medida justa do prefeito Miguel Coelho”, ressaltou.

Ação de graças pelos 124 de Petrolina

Sobre a disputa de alguns edis pela autoria do pedido junto ao prefeito Miguel Coelho que culmina com a realização pela primeira vez de um show gospel na Orla 1 da cidade, Osinaldo minimizou afirmando que o que importa é a ação de graças.

“O que interessa não é quem é o pai da criança, o que interessa é que a gente conseguiu. Eu já coloquei várias vezes no orçamento recursos para isso, sei que outros também colocaram, mas ninguém tinha atendido. Isso deve partir do Poder Executivo. Então, agora Miguel atende o pleito seja de Osinaldo, seja de Rui Wanderley, Pastor Alex de Jesus, Elias Jardim, todo e qualquer outro vereador, não interessa. O que importa é que a comunidade evangélica vai ter o seu evento de ação de graças e a comunidade não evangélica vai ter também  a sua note no dia 21”,  amenizou.

Um Comentário

  • Maria

    20 de setembro de 2019 at 12:32

    Porque dar esse benefício a essas empresas altamente lucrativas denominadas igrejas? Principalmente essas evangélicas.
    Como se faz para anular essa Lei?
    Nada de sacrificar o prestador de serviço que trabalha e o que ganha mal dá para o sustento e ainda tem que sustentar o prejuízo dessas empresas/igrejas que não querem pagar nada. Essas igrejas são de fins lucrativos.

    Responder

Deixe uma resposta