Osinaldo reivindica comando da Comissão de Direitos Humanos, mas colegas dão assunto como encerrado

Vereador não estava presente quando assunto foi debatido internamente (Foto: Blog Waldiney Passos)

A celeuma das comissões da Câmara de Vereadores de Petrolina voltou aos holofotes na sessão de ontem (19). Osinaldo Souza (PTB) que até o biênio passado era presidente em Direitos Humanos perdeu o cargo para Gilmar Santos (PT) e não ficou contente.

Durante a sessão ele já havia demonstrado a alguns colegas sua indignação e em discurso, expôs seu descontentamento. “Eu disse que tinha interesse em continuar como presidente da Comissão de Direitos Humanos e chegando aqui eu encontro meu nome como secretário. O líder do meu partido [Manoel da Acosap] disse que pleiteou essa vaga para mim. Onde que fica o regimento dessa Casa que tem que respeitar a proporcionalidade dos partidos políticos?”, questionou.

A queixa de Osinaldo é porque seu partido tem três vereadores e o PT de Gilmar, apenas dois e a sigla com maior número de edis deveria assumir a presidência. “Meu partido tem proporcionalidade para exigir a presidência e o regimento garante isso”, afirmou o vereador.

Bancada não apoia reivindicação do colega

Depois do pronunciamento de Osinaldo o presidente da Câmara, Osório Siqueira (PSB) lembrou que todos os líderes de partidos assinaram a portaria que determinava como seria feita a indicação das comissões e nominou quais comissões o PTB passou a ocupar: cinco das nove disponíveis. “A proporcionalidade está dentro das nove comissões”, disse Osório.

Líder da bancada governista, Aero Cruz (PSB) foi outro a rejeitar a queixa do colega. “Nós fizemos uma reunião com a bancada de situação antes, quero dizer que na hora que se foi colocado, foi colocado que vossa Excelência tinha interesse na presidência e isso não foi levado porque sua bancada não colocou”, afirmou Aero.

Ronaldo Silva (PSDB) foi além, disse que “o jogo já terminou” e citou a falta de amparo do Regimento Interno. “Quero dizer ao vereador Osinaldo que o líder de vossa excelência estava aqui e a proporcionalidade foi respeitada. Não tem dizendo a proporcionalidade dos cargos, o partido de vossa Excelência tem direito a cinco vagas, isso não quer dizer que o senhor tenha que ser presidente. Na hora que foi pra votação, seu líder apresentou o seu partido e na votação dos líderes foi escolhido o vereador Gilmar Santos”, ressaltou Ronaldo.

Deixe uma resposta