Parceria  entre IF Sertão-PE e Incra oferece análise de solos a produtores rurais de assentamentos de municípios do Sertão Pernambucano

(Foto: Ascom)

Uma parceria entre o Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) irá beneficiar, por um prazo de dois anos, cerca de duas mil famílias de assentamentos localizados nos municípios pernambucanos de Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista e Cabrobó.

O projeto visa oferecer, gratuitamente, consultoria e análise de solos a pequenos produtores rurais assentados destes municípios. O trabalho já teve início e está sendo desenvolvido pelo Incra e pelo Laboratório de Solos do IF Sertão-PE, campus Petrolina Zona Rural.

A parceria prevê ainda a realização de dias de campo com os agricultores. O primeiro aconteceu nesta quarta-feira (19), com o intuito de demonstrar como fazer a amostragem de solo que é enviada para análise. Além do envolvimento dos servidores do IF Sertão-PE e do Incra, a iniciativa conta também com o trabalho de bolsistas selecionados para atuar na realização das análises de solo bem como no apoio durante os dias de campo.

O servidor do Incra e idealizador do projeto, Fábio Gonçalves, destaca o quanto o acordo é fundamental para o desenvolvimento dos colonos. “O Instituto Federal tem toda condição de fazer análise de solo para os beneficiários da reforma agrária, que são muito carentes de assistência. Com o apoio da instituição de ensino e o Incra próximo do beneficiário, não tenho dúvida que vamos ter avanços com relação à economia do produtor, à melhoria de sua produtividade e ao meio ambiente”.

Para a reitora do IF Sertão-PE, Leopoldina Veras, o serviço oferecido pela parceria é extremamente necessário. “Vamos atender a uma comunidade que realmente precisa dessa atenção, pois muitos produtores rurais utilizam produtos químicos em suas lavouras de forma indiscriminada, o que pode inclusive prejudicar o meio ambiente. Nosso objetivo é sempre buscar novas ações que tragam benefícios às comunidades onde nos inserimos”, afirmou.

Deixe uma resposta