Paulo Câmara critica governo Temer por indefinição sobre pedido de R$ 7 bi para 14 estados

(Foto: Internet)

Paulo Câmara ainda voltou a reclamar também do processo de renegociação das dívidas. (Foto: Internet)

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), e gestores de 13 outros estados se reuniram nesta terça-feira (13) com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a pedido do presidente Michel Temer (PMDB), para pressionar o governo por auxílio financeiro de R$ 7 bilhões para repor perdas com as quedas de receitas. Porém, o socialista afirmou ter saído do encontro de duas horas e meia frustrado. “Não surtiu efeito”, reclamou.

Mesmo com um ministro do PSB no governo (Fernando Filho, na pasta de Minas e Energia), Paulo Câmara não poupou críticas à gestão atual. “Vamos ter que buscar alternativas para o serviço público não colapsar. Então, eu saio (da reunião) com o dever de casa de que, mais uma vez, os Estados (Norte, Nordeste, Centro-Oeste) não vão contar com ajuda do governo federal, nem de operações de crédito, nem de auxílio para o fechamento do ano, como já ocorreu no exercício de 2015”, destacou.

“Mais uma vez não tivemos respostas claras sobre os anseios, principalmente com relação ao auxílio financeiro de R$ 7 bilhões que tinha sido colocado como importante neste momento de queda de receita dos Estados e de forte aumento da demanda por serviços públicos e de aumento generalizado do desemprego”, afirmou Paulo Câmara. A reunião com o ministro aconteceu um mês após outro encontro com Temer. “Havia uma sinalização de alternativas. E agora não há”, reclamou o governador.

Paulo Câmara ainda voltou a reclamar também do processo de renegociação das dívidas. Para ele, além do Tesouro, deveria considerar os débitos com o BNDES. “Atende o Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e o Rio Grande do Sul, que são os grandes beneficiados com mais de 80% do processo de negociação da dívida”, afirmou Paulo Câmara.

Fonte blog do Jamildo

Deixe uma resposta