Pernambuco registra aumento de 22% nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave

(Foto: Ilustração)

Segundo dados divulgados pelo o Governo, Pernambuco registrou um aumento de 22% no número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A síndrome é caracterizada com febre, tosse ou dor de garganta associado à dispneia ou desconforto respiratório

Diferente de 2016, que a maioria dos pacientes teve resultado laboratorial positivo para a influenza A (H1N1) – 56, com 15 mortes -, agora, as ocorrências estão associadas a outro tipo de influenza, a A(H3N2), com 1 morte ocorrida em abril confirmada pelo vírus no último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Ambos os tipos, além da influenza B, fazem parte da composição da vacina contra a influenza, que está disponível nos postos de saúde para os grupos prioritários e que terá seu Dia D neste sábado (13). Até o momento, 511.496 pessoas (21,9%) já foram imunizadas, de um total de mais de 2,3 milhões de pernambucanos.

“Neste ano, foi identificado um aumento de casos de influenza antes do período esperado e, com essa época de chuvas, precisamos ficar ainda mais atentos às ocorrências. O predomínio de casos tem sido da influenza A (H3N2) com evolução leve dos quadros. Mas as pessoas que fazem parte do grupo de maior risco para o agravamento precisam ser vacinadas. Este ano, já ocorreu um óbito de uma idosa com comorbidade”, diz a gerente de Prevenção de Doenças Imunopreveníveis da SES, Ana Antunes.

A coordenadora do Programa Estadual de Imunização da SES, Ana Catarina de Melo, reforça que o Estado tem encaminhado as doses da vacina para todos os municípios pernambucanos. “Além de chamar a população para tomar a vacina, também estamos sensibilizando os gestores municipais para que eles intensifiquem suas ações para ampliarmos o número de pessoas imunizadas”, esclarece Ana Catarina.

Deixe uma resposta