Pesquisadores da Univasf do Campus Paulo Afonso conquistam prêmio no VI Congresso Luso Brasileiro de Patologia Experimental

O Neacip foi criado este ano e conta com 25 membros, entre docentes, técnico-administrativos em educação, estudantes e colaboradores externos nacionais e internacionais. / Foto: Ascom

O Neacip foi criado este ano e conta com 25 membros, entre docentes, técnico-administrativos em educação, estudantes e colaboradores externos nacionais e internacionais. / Foto: Ascom

Um trabalho apresentado por um professor e dois estudantes do curso de Medicina, do Campus Paulo Afonso da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), foi premiado na categoria banner no VI Congresso Luso Brasileiro de Patologia Experimental, realizado de 25 a 27 de agosto. O professor Pedro Pereira Tenório e os alunos Iara Ferreira de Lima e Charles Lindberg Barcia Nascimento Duarte conquistaram a segunda colocação com a apresentação do trabalho “Avaliação Histomorfométrica e Imunoistoquímica das Placas Ateroscleróticas em Artérias Aortas Humanas”. O evento, que aconteceu na cidade de Garanhuns (PE), foi promovido pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade de Pernambuco (UPE) e Universidade de Coimbra.

Desenvolvido por um grupo de pesquisadores que integram o Núcleo de Estudos Aplicados em Ciências Patológicas (Neacip), da Univasf, o trabalho foi realizado em coautoria com Mário Ribeiro de Melo-Júnior, professor da UFPE, e Mônica Modesto Araújo, residente do Hospital das Clínicas (HC) da UFPE. A pesquisa, que concorreu com outros 300 banners no congresso, apresentou um estudo da artéria aorta humana com análise da aterosclerose, gordura depositada nos vasos, com a utilização das técnicas histomorfométrica e imunoistoquímica.

O professor Tenório esclarece que o ineditismo do trabalho se deve à análise mais precisa e fidedigna dos dados coletados. Ele explica que a análise foi feita por meio dos softwares Motic Plus, de captura de imagens, e Gimp 2.0, que permite quantificar o número médio de pixels na imagem capturada, o que dá mais precisão à análise.

“A partir do resultado, percebemos que quando há muitas células inflamatórias há também um risco maior de dissecção, isto é, que ocorra uma rasgadura da parede arterial, levando ao aneurisma dissecante da aorta. Esta é a maior relevância do trabalho”, ressalta o docente. Segundo Tenório, a premiação é de grande importância para o curso de Medicina do Campus Paulo Afonso e para a Univasf, especialmente por se tratar de um evento internacional.

Grupo de pesquisa – O Neacip foi criado este ano e conta com 25 membros, entre docentes, técnico-administrativos em educação, estudantes e colaboradores externos nacionais e internacionais. O grupo de pesquisa enviou diversos trabalhos para o VI Congresso Luso Brasileiro de Patologia Experimental, que reuniu aproximadamente 400 participantes.

Com informações de Ascom

Deixe uma resposta