Petrolina adere a paralisação geral da educação e professores realizam manifesto nas ruas nessa terça (15)

Greve- Geral Educação (13-3-16)

Mobilizados para pedir aplicação de direitos da classe, os servidores em educação de Petrolina (PE) aderem à greve nacional da Educação iniciada nesta terça (15) e segue até o dia 17 de março. A categoria pede o cumprimento da lei do Piso, repudia a terceirização da Educação, contra a entrega das escolas às organizações sociais é contra o parcelamento do salário, a militarização das escolas públicas e a reorganização das escolas.

O Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) apoiam a manifestação em favor da classe.

No primeiro dia de paralisação ainda está sendo feito o levantamento da adesão no município, mas a expectativa do diretor regional do Sintepe é que atinja 100% das escolas estaduais até amanhã (16), segundo dia de paralisação, quando haverá uma manifestação às 9h30 na Praça do Bambuzinho para apresentação da pauta regional: Campanha Salarial.

Deixe uma resposta