Petrolina declara guerra contra o Aedes Aegypti

GEDSC DIGITAL CAMERA

Foto Waldiney Passos

A preocupação com o aumento do número de casos de microcefalia no Estado de Pernambuco, que lidera o ranking nacional de crianças que nascem com o crânio de tamanho menor que o normal, levou a Secretaria de Saúde de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, a anunciar a realização de uma força tarefa de combate ao mosquito Aedes Aegypti, que assim como os vírus da dengue e do chikungunya também é o transmissor da Zica.

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (02), a secretária Lúcia Giesta informou que esta epidemia é um grande problema de saúde pública que desafia a todos e que requer uma participação efetiva da população uma vez que 82% dos focos do mosquito Aedes Aegypti estão relacionados ao armazenamento de água.”A gente precisa de uma ação muito mais da população do que do setor público”, alertou.

Lúcia informou que o município também publicou no Diário Oficial o Decreto de Emergência Epidemiológica que permite agilizar o processo de aquisição de alguns insumos e  materiais  necessários a realização das ações de combate ao mosquito nos próximos 180 dias, além de solicitar a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) para que se posicione sobre a questão da interrupção no abastecimento de água em alguns bairros da cidade levando os moradores a armazenar água favorecendo a reprodução do mosquito.

A secretária disse que por orientação do prefeito Júlio Lóssio (PMDB), formou uma equipe de enfrentamento composta por J. Santos – secretário de Ordem Pública, Tatiane Lima – secretária de Infraestrutura, Jaílson Luiz  – coordenador de Endemias  e Silvana Mudo – coordenadora de Vigilância Epidemiológica.

CASOS NOTIFICADOS EM PETROLINA

Em Petrolina até o momento foram registrados 5 (cinco) casos de microcefalia em 2015: dois da Bahia, dois de Petrolina (bairros Fernando Idalina e Santa Luzia) e um do município de Santa Filomena – PE.  Os casos de Petrolina estão próximo a média histórica anual de registro de microcefalia que é de 1 (um) por ano, mesmo assim ainda não há comprovação se existe associação com o vírus Zica, para tanto a secretaria está aguardando o resultado dos exames sorológicos.

AÇÕES EMERGENCIAIS

O município de Petrolina está se organizando para fazer uma compra emergencial de repelentes para distribuir com as gestantes e crianças cadastradas nas unidades de saúde da família, panfletos serão distribuídos à população conclamando a todos para se engajarem no combate ao mosquito, as gestantes dentro do possível devem utilizar tênis com meia, calça de malha e blusa de mangas compridas,  todas as pessoas da população em geral após as 3 horas da tarde devem fechar as portas e janelas de suas casas ou providenciar a colocação de telas.

 

Deixe uma resposta