PF combate resgates fraudulentos de FGTS em Pernambuco

(Foto: Divulgação/PF)

(Foto: Divulgação/PF)

A Polícia Federal em Pernambuco deflagrou na manhã desta quarta-feira (19) a Operação Demara. O objetivo é desarticular uma quadrilha especializada em resgates fraudulentos de valores de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Desde a manhã de hoje, 6h, cerca de 35 policiais federais estão cumprindo quatro mandados de prisão preventiva e seis de busca e apreensão nos bairros UR-10 e Afogados, na Região Metropolitana do Recife (RMR) e nos municípios de Caruaru e São José dos Campos, em São Paulo.

A investigação, iniciada em 2015, descobriu um grande esquema de saques irregulares. De acordo com a polícia, os principais da quadrilha arregimentavam pessoas para realizar saques indevidos em nome de terceiros em diversos estados como Pernambuco, Maranhão e Sergipe.

A fraude era realizada utilizando documentos falsos e informações indevidas enviadas à Caixa Econômica Federal (CEF) por meio do aplicativo Web do Sistema Conectividade Social sobre supostas demissões de empregados, envolvendo dezenas de empresas.

O esquema criminoso era realiada por estelionatários contumazes, com longos históricos criminais de resgates indevidos de benefícios previdenciários, clonagens de cartões de créditos, empréstimos fraudulentos em instituições financeiras.

De acordo com a PF, a organização criminosa tentou resgatar mais de R$ 3 milhões de valores indevidos de FGTS, até o momento, com prejuízo financeiro confirmado em aproximadamente R$ 800 mil aos cofres públicos.

Os integrantes da organização criminosa serão responsabilizados criminalmente pelos crimes de estelionato qualificado cometido em detrimento de entidade de direito público, crime continuado e associação criminosa. Caso sejam condenados, eles podem cumprir penas que, somadas, podem chegar a 20 anos de reclusão.

Fonte Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta