Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Pior do que tá…pode ficar? – por Otoniel Gondim

O professor, escritor e compositor Otoniel Gondim publicou nessa semana um novo artigo de opinião. No texto, ele que é filho de caminhoneiro, comentou a greve de 10 dias e os próximos capítulos que virão no Brasil.

Confira o texto:

Pode apostar que sim, querido Leitor.

 *Saudades de vosmecê, amigo. Estás bem bem (desejo-lhe que sim) ou indo como índio e o país tropical em que moras vai? Bom estarmos juntinhos novamente. Otonce, aquele abraçaço.

Um desgoverno imposto ao povo por um maquiavélico golpe orquestrado pelos poderes esdrúxulos a serviço das elites dominantes – Direita, Evangelismo ortodoxo, Judiciário partidário e Imprensa maniqueísta – somente descambaria num final apocalíptico de direito: Perdidão na auto malevolência, sem norte e sul, encurralado nas próprias amarras da crueldade.

Nesses dois anos de Temer, Moro e Cia da bixiga lixa, os despropérios e impropérios para com a nação tanto mineral quanto orgânica, os desmandos e descasos para com a população ultrapassaram os limites extremos do tolerável, admissível, aceitável. E nesse fundo esteio de ineficiência, irresponsabildade, anti patriotismo, encontramos a verdadeira explicação para tanta inquietação, dúvida, desesperança, ódio, raiva, decepção e manifestações de repúdio alstrando-se Brasil dentro afora. Um desgoverno que se encravou no país alicerçado em mentiras, falsidades, inescrúpulos, compras desavergonhadas de congressistas, aliciamentos espúrios da mídia, conchavos safados com a parte peçonhenta do judiciário e o amparo escroto de pragas importadas do inferno.

Como tamanho algo tão amaldiçoado poderia dar certo á luz do bem, do humanismo, do correto?

Nunquinha, pai. Nunca que nas galáxias que daria certo. Seja sincero, daria Leitor?

Pois bem. Para coroar a péssima gestão dos coxinhas, o temor de Temer, Moro e Cia da bixiga lixa, continua subindo a galope desenfreado qual foguete nas pesquisas eleitorais mesmo preso injustamente. Continua aduvinhão, caro Leitor? Isso mesmo: LULA.  O LULINHA, PAZ E AMOR do povo brasileiro que ama o seu torrão natal, carnaval, futebol, samba, feijoada, cachacinha, São João. Dorei essa parte. Tomém, amigo? Grato.

Calma, coxinha. Nada de carinha vermelha sem-vergonha e roxa… o assunto do texto retornal não se esmerilhará em Lula. Quiçá no próximo.

Brasil aos solavancos nas estradas e rodagens. Realmente, torna-me impossível pensar que tantos seres inteligentíssimos –principalmente, quando a serviço da maldade contra o povo carente-  não se aperceberem de que as mazelas impostas aos setores de transportes pelas políticas arbitrárias, arrochadoras, de dores, não viriam à tona com tamanha fúria legal, limpa, coerente e justa. Quilaro que os maleditos golpistas sabiam. Só que, apostando na moleza e passividade do trabalhador brasileiro, deram uma de ‘João Sem Braços’: Tamos nem aí, povinho. Aqui pra vocês!

Foram amplamente alertados todos os dias há mais de ano pelos caminhoneiros e órgão ligados a transportes rodoviários. E ‘Elescão’: Tamos nem aí, povinho. Aqui pra vocês!

Como podem ser tão desumanos a ponto de ignorarem a insurgência possível e justa de 2.000.200 mil caminhoneiros registrados e mais um tanto disso autônomos?

Como podem ser tão desumanos a ponto de ignorarem a insurgência possível e justa da classe, simplesmente, responsável por mais de 70% dos transportes de mercadorias por toda la nacion?

Vou-lhe responder num piscadinho de olhos, amigo Leitor: Podem. E mais: podem e ignoraram por serem e terem sido desumanos desde o primeiro dia em que assumiram, ilegitimamente, o desgoverno da terra brasilis depondo Dilma, perseguindo os partidos socialistas e massacrando a sombra eterna ‘Delescão’: LULA. De quebra, pra arrebentar a corda frágil da horda selvagem, arranjaram um enorme e desafeto calo: O VOTO DO POVO.

No iniciozinho, a paralisação dos caminhoneiros pareceu aos maleditos do Planalto uma brincadeira de ‘mavé bé cé’. Nada de um dia após o outro, hein? Heinnnn? Bloqueio em todas as regiões do país. Desabastecimento geral desde comida, medicamentos, utensílios de mercado, combustível para carros de segurança, escolas, aeropostos, particulares.

O caos nacional.

O governo desgovernado, fraco, inócuo, barata tonta, acuado, destrambelhado, sem timoneiro no leme, sobrevivendo de promessas estapafúrdias que não se cumprem. Prato cheio para, novamente, servir a mesa do eterno vício da linguagem e linhagem direitista/ golpista: ameaças de pôr as Forças Nacionais de Segurança atrás dos grevistas. A bem da verdade do país inteiro, já que a imensa maioria da população aplaudem a manifestação mesmo sentindo os dissabores diários da falta de necessários insumos medicamentosos e suprimentos diversos. Isso mostrou aos maleditos do Planalto que ou aceitam as reivindicações ou vão todos para casa de pé por falta de combustível e de carona. Quem, a não ser ‘Elecãos’ em si, daria carona, a Temer e à sua corja?

Garanto, Leitor indignado: Ninguémzinm da silva. Concorda cá comigo, meu nobre?

O resultado, caríssimo amantes das letras, é que ‘Elescão’, por livre e espontânea pressão, resolveram desengrossar a conversa militarista e atender a quase todas as reivindicações. Se não….rárára´!!!

Um passarinho verde acordou-me hoje e disse que ouviu Temer na reunião ordinária do “Gabinete de Crise” (criado, urgentemente, a fim de buscarem soluções para tapar o buraco que cavaram no seio do país.  Toma, safadinhos!) dizer um dizerzinho tipo assim: “ Meus amigos, o negócio tá feio. Resta-nos botar o rabinho entre as pernas e aceitar as reivindicações dos caminhoneiros e caminhoneiras. Culpa nossa, de todos ‘Nóscão’. Empurramos sem cuspe e sem nos cercarmos de prudência humana nenhuma, impostos altos, pedágios em banda de lata, carga tributária a migué e uma política de reajuste diário dos derivados do petróleo baseado no câmbio do dólar e no preço internacional do barril. Tá barril! Se lascamos. Agora que nossos estoques abusivos de arrecadação escravista e autoritária  minguaram, é abaixar as calças e aguentar o tranco. No entanto, por outro lado, que saiamos de cabeça erguida,  com um discurso uníssono, afiado, conjunto – do Presidente ao servidor de cafezinho passando pela presidência da Câmara Federal, Senado, STF, Advocacia Geral, Moro e de todos os alinhados com as atitudes normamente espúrias do nosso governo – de que entendemos como justas, saudáveis e democráticas as manifestações. Ouviram bem, amor é mio? Num vão esquecer não, né? Pronto. Vamos  sair fortalecidos. Obrigado a todos, irmãos do coração, e até a próxima reunião do Gabinete de Crise. Tchau, tchau! Como dizem os jornalistas da amiga Globo”.

Tá vendo, saudoso Leitor (matei as saudades de vosmecê), como “PIOR DO QUE TÁ… PODE FICAR”?

A não ser que em Outubro, votemos certo. Certo?

Assim, encerro.  Ah, perái. Ô cabeça…

 Não sem antes, amável e filósofo Leitor, deixar duas coisitas para meditações, sonhos e discernimentos.

·        “TODO CAMINHO LEVA À MORTE.  

                                                                 PERCA-O…” ( Jorge Luís Borges).

·        “AMARRADÃO NA TORRE

DÁ PRA IR PRO MUNDO INTEIRO

E ONDE QUER QUE EU VÁ

EU LEVO A MINHA TORRE

                                             É SÓ BALANÇAR…”(Gilberto Gil).

Fui.

 Otoniel Gondim – Professor, Escritor, Compositor e Filho de Caminhoneiro

Deixe uma resposta