Poesia, amor e cultura: Santana “o cantador” está em Petrolina

santana

“Dançar abraçado com quem você ama, ouvindo poesias boas, músicas boas, não tem preço”, afirma Santana/Foto: Waldiney Passos

No próximo sábado (15) o cantador Santana estará mais uma vez se apresentando em Petrolina em um evento alusivo ao dia dos professores, na casa de shows Zé Matuto, ao lado de Elisson Castro e Targino Gondim.

Um dos maires nomes da música nordestina, Santana chegou nesta quinta-feira (13), aproveitando para rever parentes, amigos e matar saudades da época em que vinha constantemente à Petrolina, quando gerente  do Bandepe (Banco do Estado de Pernambuco) em Santa Maria da Boa Vista.

Em visita ao nosso blog, o cantador fez questão de ressaltar sua admiração por Petrolina. “Os filhos de Petrolina fizeram dela hoje um dos maiores referenciais em termos de cidades progressistas no Brasil e no mundo”, comentou.

Para ele, Petrolina sempre deu suporte a quem faz a cultura popular, deu apoio a cantores como Assisão, Jorge de Altinho e Luiz Gonzaga, que encheram casas de shows aqui.”Petrolina sempre teve esse peso de abraçar a cultura popular”, elogiou.

Santana demonstrou alegria e ansiedade para participar do show deste sábado que vai homenagear os professores, mas criticou a falta de valorização da classe no Brasil. “O professor é a única profissão para quem o imperador do Japão se curva, só no Brasil que não é valorizado, mas nos outros países eles são reconhecidos. Um país que não respeita o professor não tem futuro não, por isso tem que haver uma mudança de configuração, principalmente, na questão dos políticos, para eles saberem que eles só estão ali por que houve um professor que os tornou com capacidade para chegar ali, então é preciso respeitar mais essa profissão”.

E falando do que mais sabe fazer, forró, Santana disse que o estilo tem uma propriedade diferentemente dos outros ritmos, pois propõe o abraço. “Vinícius de Moraes dizia que a vida é a arte do encontro, eu peguei essa deixa de Vinícius e pensei ‘se a vida é a arte do encontro forró é a arte do abraço’, inclusive é o título de um disco meu (Forró a arte do abraço), porque não existe coisa assim de segurança na depressão do que está dentro de um abraço, então é um grande antídoto contra depressão”, salientou.

Deixe uma resposta