Policial militar mata vizinho após briga pelo WhatsApp no DF

A discussão virtual cessou e, minutos depois, vizinhos ouviram tiros no apartamento. (Foto: Reprodução)

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) decretou na tarde desta sexta-feira (8), a prisão preventiva (provisória) do policial militar reformado apontado como autor do assassinato de um vizinho, em Samambaia, no DF.

A vítima, de 36 anos, foi morta a tiros no começo da noite desta quinta-feira (7), após discutir com vizinhos em um grupo de mensagens do condomínio. Segundo a Polícia Civil, o PM disparou duas vezes contra o homem que morava no andar de cima; Adilson Silva foi atingido no tórax e morreu no local.

A discussão começou às 18h, por mensagens pelo WhatsApp. Em uma imagem, o policial militar José Arimatéia Costa mostra uma mancha branca que apareceu na janela do apartamento, e acusa o vizinho de cima de ter “cuspido pasta de dente” pela janela. Em resposta, Silva enviou uma sequência de mensagens e áudios, em que negava a “autoria” da mancha e chamava o vizinho para resolver as coisas “pessoalmente”.

A discussão virtual cessou e, minutos depois, vizinhos ouviram tiros no apartamento de Adilson. O caso foi registrado na 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia).

Com informações do G1

Deixe uma resposta