Prefeitura de Araripina emite nota sobre recomendação do Ministério Público de Pernambuco

Raimundo Pimentel afirma em nota, que prática de nepotismo era feita pela antiga gestão. (Foto: Internet)

Na manhã de hoje (8), o Blog Waldiney Passos publicou uma matéria sobre uma recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) dando o prazo de 30 dias para a prefeitura de Araripina (PE) exonerar todos os ocupantes de cargos comissionados, funções de confiança ou funções gratificadas que possuam grau de parentesco com o gestor, seu vice e membros do secretariado. Segundo o documento emitido pelo MPPE, a determinação visa evitar que o município mantenha em seu quadro pessoas em situação de nepotismo.

LEIA TAMBÉM:

Araripina: MPPE recomenda exoneração de cargos comissionados da Prefeitura sob alegação de nepotismo

Questionada sobre a recomendação, a prefeitura emitiu uma nota informando que “recebeu no dia 04 de janeiro uma recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para o cumprimento da Súmula Vinculante 13 do Supremo Tribunal Federal (STF) que trata do tema do nepotismo na administração pública e a qual todos os gestores públicos estão sujeitos e que, de imediato, enviou para a Procuradoria Municipal para análise dos termos do documento e posterior resposta ao MPPE dentro do prazo estabelecido”.

Ainda de acordo com a nota, o atual prefeito afirma que não possui nenhum parente no quadro de servidores do município, e ainda acusa a antiga gestão municipal de cometer a prática de nepotismo.

“O prefeito Raimundo Pimentel, antecipadamente, esclarece para todos de forma clara e transparente que não possui nenhum parente nomeado para cargo de direção, chefia ou assessoramento para o exercício de cargo de comissão ou de confiança que esteja em desacordo com a referida decisão do STF, ao contrário do que acontecia na gestão anterior onde inúmeros parentes do ex-gestor – irmãos, cunhadas, esposa – estavam alojados em cargos na Prefeitura Municipal de Araripina, recebendo vultuosos salários.”

Deixe uma resposta