Prefeitura de Petrolina discute desafios e metas para combater atraso escolar

(Foto: Jonas Santos)

Dados da edição 2018 do Censo Escolar apontam que, de cada 100 alunos brasileiros matriculados em escolas públicas municipais e estaduais, 22 estão em situação de distorção idade-série. O atraso escolar foi o tema central do 1º Seminário Trajetória de Sucesso Escolar realizado na última terça-feira (30), pela Secretaria de Educação, Cultura e Esportes de Petrolina.

O evento realizado no auditório da secretaria reuniu representantes da Rede Municipal de Ensino; Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente; Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas); Centro de Referência de Assistência Social (Cras); Vara da Infância; Gerência Regional de Educação (GRE); Núcleo de Cidadania dos Adolescentes de Petrolina (NUCA) e representante do Selo Unicef. O encontro contou ainda com a presença do Prof. Dr. Edmerson Santos Reis, que ministrou aos presentes uma palestra com a temática: “Currículo, identidade e superação da evasão escolar”.

Na oportunidade, foram apresentados os principais fatores que contribuem para a situação da distorção idade-série e discutidos dados que precisam da atenção dos atores sociais envolvidos nesse processo, entre eles: idades e séries escolares com maior número de casos registrados; a questão dos estudantes com deficiência que encontram-se “atrasados”. Esse grupo representa uma parcela grande no número total; a situação de vulnerabilidade dos estudantes, entre outros.

O seminário foi coordenado pela Secretaria Executiva de Ensino. Para Rosane Costa, responsável pela pasta, o direito das crianças e adolescentes ao ensino na idade certa precisa ser garantido. “Tentamos criar essa rede de mobilização buscando incluir, não só educadores, mas outros setores da sociedade. Hoje, o município já conta com iniciativas como o Programa “Busca Ativa Escolar”, coordenado pela Secretaria de Educação, e conta com a contribuição de diversos segmentos sociais, mas vale lembrar que essa é uma responsabilidade de todos”, disse.

Deixe uma resposta