Presidente do Sintraf cobra assistência técnica para que agricultores possam comercializar seus produtos

Sem o documento, produzido pela assistência técnica, os produtos não podem ser levados para a cidade de Juazeiro (BA), o que dificulta a venda da produção. (Foto: Blog Waldiney Passos)

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar Regional (Sintraf), Isália Damasceno, esteve, nesta quarta-feira (25) no programa Super Manhã, com Waldiney Passos, na Rádio Jornal, fez uma avalização do ano de 2016 e cobrou dos responsáveis a ajuda com assistência técnica para emissão de laudos que possibilitam a comercialização da mercadoria produzida pelos agricultores de Petrolina (PE). Sem o documento, os produtos não podem ser levados para a cidade de Juazeiro (BA), o que dificulta a venda da produção.

“Foi um ano complicado. Em 2017 vai ter muita luta, mas a gente espera que seja melhor. Em 2016 tivemos um avanço no que diz respeito a assistência técnica. Estamos com dois anos, mais ou menos, que não contamos com essa assistência, sem poder emitir os documentos necessários para venda da banana, de todos os produtos que a gente tira de Petrolina para Juazeiro. Sem o laudo fica mais difícil a comercialização, porque os produtos não podem ir para Juazeiro sem esse documento”, reclamou a presidente do Sintraf.

De acordo com a presidente do Sindicato, a falta de acesso à informação e de suporte técnico acaba atrapalhando na produção dos agricultores, pois alguns ficam sem saber, por exemplo, como agir quando tem sua produção atingida por algum tipo de praga.

Segundo Isália, ela conseguiu apresentar os problemas enfrentados pelos agricultores ao Ministro da Agricultura, Blairo Borges Maggi, quando esteve em Petrolina, em novembro, e em dezembro recebeu uma ligação do secretário de produção do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Michel Ferraz, afirmando que estava vindo a cidade para tomar ciência dos problemas enfrentados pelos agricultores.

Ainda segundo a presidente, o secretário se comprometeu a solucionar o problema com a falta de assistência técnica. “Eles se comprometeram, mas mesmo assim nós estaremos cobrando até que seja concluído. O Michel para ser uma pessoa de fibra e afirmou que vai nos ajudar porque ele designado para isso pelo Ministro. O Ministro nos mostrou que tinha esse compromisso conosco”.

Produtos Orgânicos

Isália aproveitou para informar aos agricultores de produtos orgânicos que em fevereiro uma equipe de técnicos chegarão a cidade para orientar os agricultores.

“Os produtos orgânicos sem assistência técnica não são orgânicos. A partir de 26 de fevereiro uma equipe de técnicos chegará a cidade para orientar os agricultores como deve ser feita a produção dos produtos orgânicos. Já aqueles produtos convencionais, nós estamos trabalhando com eles e até junho deste ano, estaremos com essa assistência técnica”.

Preocupação

Para Isália, algumas pessoas tentam confundir a cabeça dos agricultores familiar afirmando que eles não são empreendedores, mas, segundo a presidente do Sintraf, todos eles tem o direito de contratar trabalhadores para os períodos de safra.

“O que mais me preocupa é a forma das informações que chegam aos nossos agricultores. Tem pessoas que tentam confundir a cabeças dessa gente afirmando que o agricultor familiar não é empreendedor, mas eles são. Eu gostaria de chamar a atenção deles e afirma que todos nós, agricultores, somos empreendedores, todos pagamos mão-de-obra. Mesmo os agricultores familiar, nós temos o direito de contratar o trabalhador convencional na hora da colheita”, afirmou Isália.

Assistência Jurídica

A presidente do sindicato informou, ainda, que o Sintraf oferece o serviço de assistência jurídica para os agricultores de Petrolina. Todas as quartas-feira, a partir das 14h, na sede do sindicato, um assistente jurídico fica a serviço dos agricultores para orientação.

“Em caso de haver qualquer dúvida, os agricultores podem procurar o sindicato, Sintraf, que fica aqui no centro mesmo. Todas as quartas-feiras, a partir das 14h, nós temos um assistente jurídico para orientar os agricultores da cidade. O Sintraf está disponível a ajudar o agricultor familiar de Petrolina”, finalizou.

Deixe uma resposta