Presídio Dr. Edvaldo Gomes tem superlotação e preocupa petrolinenses

(Foto: Internet)

A penitenciária Dr. Edvaldo Gomes possui atualmente uma população com 1.400 detentos, entretanto, a capacidade do local seria para apenas 400. O levantamento foi feito pelo o repórter Marco Aurélio e foi divulgado nesta terça-feira (24) no programa Super Manhã, com Waldiney Passos, na Rádio Jornal.

Em conversa com um detento do regime semiaberto, Juarez da Silva revelou que as celas são ocupadas por 35 pessoas, quando, segundo o detento, o espaço comporta apenas 20.

“Uma cela que é para morar 20 pessoas, está morando de 30 para 35, dormindo no chão e de todo jeito. A comida não é boa, não é adequada”, afirma Juarez.

A superlotação também preocupa os moradores do bairro Jatobá, que são vizinhos da penitenciária e apelam ao governo para que medidas preventivas sejam feitas para evitar rebelião e fugas.

“A penitenciária é um barril de pólvora próximo da nossa cidade. A estrutura desse presídio é precária e fraca! Nós estamos aqui a mercê da sorte, eu moro a 1km do presídio. Eu peço ao governador do estado que venha reestruturar esse presídio ou colocar ele em uma região mais distante da cidade”, declarou o morador do bairro, João Vicente.

Em resposta à preocupação dos moradores, o repórter conversou com um representante do 5º Batalhão da Polícia Militar de Petrolina, Major Marcos Costa. Ele revelou como é a rotina de segurança proporcionada pela PM.

“Temos quatro equipes se revezando em uma escala de 24 por 72h e policiais militares fazem a guarda externa nas guaritas da penitenciária. Hoje temos 16 policiais por dia, que atende entre 4 e cinco guaritas por dia, no sistema prisional. A missão do 5º BPM é a guarda externa, o que nada impede de em algum momento, caso seja solicitado, de adentrar na penitenciária a exemplo de revistas quando a direção solicita o apoio do 5º BPM, que acontece em uma média de uma vez por mês e não registramos nenhum problema. Temos também viaturas fazendo rondas nas áreas das proximidades da penitenciária. A exemplo de saída dos presos temos uma viatura pela manhã, que acompanha a saída dos presos do regime semiaberto e uma viatura às 18h para a chegada”.

O governador Paulo Câmara esteve em Petrolina nesta segunda-feira (23) e falou sobre a situação da penitenciária da cidade. O chefe do executivo estadual disse estar ciente de que precisa mudar essa realidade antes que algo grave aconteça.

“Estamos avaliando as medidas necessárias a um problema de superlotação e a gente dentro do planejamento 2017 vai buscar alternativas para amenizar. Eu sei que aqui a situação também não é boa”, declarou o governador que não informou quais seriam essas medidas.

Colônia penal feminina de Petrolina

O grupo de mulheres detidas é menor, em comparação a penitenciária Doutor Edivaldo Gomes, mas também funciona com um número maior que a sua capacidade. A colônia abriga 63 mulheres em um total de 11 celas.

O número de reclusas está dividido em 42 no regime fechado e 21 no semiaberto, com um déficit de 8 vagas.

Para o Segurança Regional do Núcleo de Petrolina, Francisco Quezado, rebeliões na proporção das que estão acontecendo no Brasil não são uma realidade próxima para Petrolina.

“Pode até vir a acontecer, mas dessa natureza que estão mostrando em outras cadeias não, porque aqui é totalmente diferente. Tem vagas suficientes para todos, tem berçário, tem assistente social, médica”, concluiu Francisco Quezado.

 

Deixe uma resposta