Prevenção de suicídio é tema de palestra para profissionais de saúde em Juazeiro

(Foto: ASCOM)

O suicídio está sendo considerado um problema de saúde pública pelo elevado número de casos que tem surgido em todo o mundo. (Foto: ASCOM)

Profissionais da Secretaria de Saúde de Juazeiro e Polícia Militar participaram na tarde desta quinta-feira (15), de uma palestra sobre suicídio, com a Psicóloga Alecrides Marques, na Câmara Municipal de Vereadores. A atividade faz parte do Setembro Amarelo, mês que representa a luta contra o suicídio e a prevenção à vida.

Durante o evento a psicóloga destacou a importância de debater sobre o tema. “Às vezes a pessoa que está enfrentando alguma dificuldade só quer conversar, desabafar um pouco. Os profissionais das áreas de saúde, educação, social e polícia devem estar preparados para ouvir e orientar a população nesse sentido”, disse Alecrides.

As pessoas podem procurar ajuda nos Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Juazeiro, sendo encaminhado para unidades de referência conforme a necessidade de tratamento. Após este primeiro momento é feito o acolhimento, um atendimento individual, de acordo com cada caso. O quadro do paciente vai determinar se ele permanece no atendimento ou é encaminhado para outro serviço, caso o indivíduo não tenha dependência, mas precise de orientação.

Os tratamentos oferecidos para esses pacientes são: atividades terapêuticas individuais e em grupo, trabalho com a família, oficinas, visita domiciliar, etc.   A Superintendente de Humanização e  Promoção a Saúde, Tatiane Malta explicou como funciona o serviço em Juazeiro e a luta importância do combate ao suicídio.

“É um momento relevante de discutirmos com nossos profissionais a maneira do acolhimento e atenção a esses pacientes. O CAPS de Juazeiro tem realizado um trabalho sério de acolhimento e assistência aos pacientes com transtornos mentais, estimulando sua integração social e familiar”  concluiu Malta.

Caps Juazeiro

A Rede de Saúde Mental em Juazeiro é formada pelo Centro de Atenção Psicossocial (CAPS II), pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) e o Centro de Apoio Psicossocial Infantil – CAPS i, que prestam assistência, respectivamente, aos usuários portadores de transtornos psíquicos graves e aos pacientes com problemas com o uso abusivo de álcool, drogas e transtornos mentais decorrentes de substâncias psicoativas.

O Centro de Apoio Psicossocial Infantil (CAPS i) é voltado para crianças e adolescentes que tenham problemas psicológicos decorrentes ou não do uso de drogas. Atende 465 crianças e adolescentes com idades entre 0 e 18 anos com transtornos mentais, como autismo, psicose e TDHA (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade).

Suicídio no Brasil

O suicídio está sendo considerado um problema de saúde pública pelo elevado número de casos que tem surgido em todo o mundo. Segundo dados de 2012, da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil ocupa a 8ª posição no ranking mundial de suicídios, com, aproximadamente, 11 mil casos, e uma estimativa de 33 casos por dia.

Com informações da ASCOM

Deixe uma resposta