Professores da Univasf apoiam greve estudantil e decidem permanecer em estado de greve

Os docentes apoiaram a mobilização estudantil./ Foto: Virgínia Passos/blog SindUnivasf

Os docentes apoiaram a mobilização estudantil./ Foto: Virgínia Passos/blog SindUnivasf

Os professores da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) decidiram em assembleia, nesta terça-feira (11), apoiar o movimento estudantil de greve. Segundo o comunicado, até esta sexta (14), quando haverá outra assembleia,  não haverá aula na instituição.

Também decidiram que irão permanecer em Estado de Greve, que já vinham desde o ano passado, bem como irão montar calendário de paralisações de advertência.

Confira o que foi deliberado na reunião: 

SÍNTESE DAS DELIBERAÇÕES E ENCAMINHAMENTOS DA ASSEMBLEIA DOS PROFESSORES DA UNIVASF, REALIZADA NO AUDITÓRIO DA BIBLIOTECA (PNZ)

– Aprovada Moção de Aplauso ao Movimento Estudantil de Greve;

– Suspensão das aulas, provas e atividades correlatas de ensino enquanto os estudantes estiverem em greve (casos específicos serão discutidos e avaliados na assembleia tripartite de sexta, conferir abaixo). Em suma: respeitaremos o movimento estudantil e os professores não darão aula;

– Ratificação do Estado de Greve (que continuava desde 2015);

– Assembleia Tripartite na sexta-feira, 14/10, 8h30, na reitoria da Univasf;

– Reunião Ampliada do Comando de Mobilização Docente no Núcleo Temático, Petrolina, às 14h;

– Assembleia Docente na terça-feira, 18/10, às 8h30 (local a definir). Pauta – Definição de Indicativo de Greve e Montagem do Cronograma de Paralisações.

– Moção de Repúdio a Professores que tentaram agredir estudantes com veículos para entrar no campus. A orientação é diálogo, compreensão e negociação sempre.

Deixe uma resposta