PSB pode bater chapa novamente em Petrolina, afirma Lucas Ramos

LUCAS CONFRATERNIZAÇÃO

As eleições municipais do ano que vem estão sendo o cardápio principal nas confraternizações realizadas pelos políticos na cidade de Petrolina (PE). Nesta quinta-feira (11) reunido com amigos, correligionários e imprensa o deputado estadual Lucas Ramos (PSB) não fugiu a regra e afirmou o desejo de sair candidato a prefeito com ou sem o apoio do grupo liderado pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), estando disposto até mesmo a ir para um bate chapa como ocorreu no ano de 2008 com Gonzaga Patriota e Odacy Amorim. “Para ser candidato Miguel Arraes dizia que basta ter título e está filiado. Todas as lideranças do PSB têm o direito e estão buscando esse espaço e se não houver um entendimento é possível que haja novamente um bate chapa nas convenções para avaliação dos filiados”, assegurou.

O deputado não descarta, inclusive, a possibilidade de sair do PSB para ingressar em outra legenda caso não conquiste o espaço para viabilizar sua candidatura, ele ressalta apenas que o governador Paulo Câmara (PSB) e a viúva do ex-governador Eduardo Campos, Renata Campos, são elementos importantíssimos nesta discussão. “O governador Paulo Câmara terá certamente participação em todo o processo de discussão da mesma forma dona Renata Campos, tendo em vista o nosso respeito, nosso carinho e nossa relação com a família Campos”.

Lucas, que disse “não vê liderança, nem comando no grupo de FBC”, justificou ainda o motivo de não ter participado de nenhum evento promovido pela executiva municipal do partido, que tem como presidente o seu colega Miguel Coelho. “Exponho uma opinião pessoal aos ataques que sofri por não ter participado da Agenda 40. Vimos que foi algo direcionado ao nosso grupo político, talvez pelo resultado que tivemos nas urnas, e pela aceitação  nas ruas de Petrolina”.

As declarações de Lucas serviram para colocar mais pano quente na relação com os fernandistas que estão de orelha em pé com a postura do parlamentar.

 

Deixe uma resposta