Quem vai pagar a conta das contas de Lossio?

(Foto: Arquivo)

Eis a questão. As contas do ex-gestor Julio Lossio, devem atiçar ainda mais o debate na Casa Plínio Amorim. Acontece que embora o TCE tenha dado parecer pela aprovação das contas do exercício de 2010, o ex-prefeito é alvo de denúncia da Câmara de Vereadores de Petrolina dirigida ao Ministério Público de Contas. Os vereadores portanto, devem analisar as contas com base no parecer do MPCO, opinando pela rejeição.

Em tese, como 16 dos 23 vereadores são da bancada da situação, haveria votos suficientes para tornar Julio inelegível pelos próximos 8 anos. Para que isso ocorra, 2/3 dos vereadores teriam que votar a favor do parecer do MPCO .

Mas ninguém quer pagar a conta por esta fatura, sempre que questionados os vereadores afirmam que não farão um julgamento político do ex-prefeito, e sim uma análise criteriosa levando em consideração os aspectos técnicos para aprovação ou rejeição das contas.

Enquanto isso, Julio Lossio, como o diabo corre da cruz, tem se esquivado em receber a notificação da Câmara para, dentro do processo legal de garantia da ampla defesa, apresentar seus argumentos.

Através de ofício o presidente da Câmara, Osório Ferreira Siqueira, já registrou as dificuldades encontradas para notificar o ex-prefeito. No documento, o presidente afirma que desde de 16 de novembro de 2017, em respeito aos princípios da ampla defesa, contraditório e devido processo legal, (a Casa) está tentando notificar o ex-prefeito Júlio Lóssio de Macêdo que, caso queira, apresente defesa escrita no processo de prestação de contas do exercício de 2010 (Processo nº 1180075-6), a qual está sendo analisada pela Comissão de Finanças e Orçamento, mas o mesmo se nega a receber o ofício.

De acordo com certidão, assinada pela chefe de gabinete da presidência, Ana Larissa Barbosa Nunes, em três datas diferentes houve a tentativa de entregar a notificação à Lossio, mediante agendamentos feitos pela secretária do notificando, que teria alterado o combinado por mais de uma vez. Ana Larissa, então, registra que terminou encontrando o prefeito, mas que ele teria afirmado “que não receberia a notificação”.

Em declarações à imprensa, Lóssio tachou de “mentira” os argumentos empregados na denúncia e garantiu está no consultório todo dia, de 14h às 22h. “Por que rejeitar minhas contas se estão aprovadas pelo TCE”, questionou.

As referidas contas estão ainda em tramitação na Comissão de Finanças e Orçamento, presidida pelo vereador Ronaldo Silva.

Deixe uma resposta