Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Reforma administrativa da Câmara de Petrolina é aprovada pelos vereadores

(Foto: Blog Waldiney Passos)

Colocado em votação de última hora, o Projeto de Lei nº 138/2018 do Poder Legislativo tratava da reforma administrativa na Casa Plínio Amorim. O item constava na ordem do dia como passível de ser analisado pelos 23 edis de Petrolina e terminou aprovado, mesmo com os votos contrários da oposição.

Ronaldo Souza (PTB) um dos autores do projeto celebrou a votação da matéria, relembrando ser uma luta antiga do seu mandato. “Vocês consolidam a lei que nenhum prefeito de Petrolina consolidou, nenhum. Uma lei reverbera a outra, hoje nós estamos consolidando uma lei importante”, afirmou Cancão.

Ruy Wanderley (PSC) que já vinha criticando a forma como a Comissão da Reforma Administrativa estava trabalhando, voltou a questionar a “velocidade na votação” da matéria, sem discutir previamente ou adicionar emendas. “A gente está deixando a discussão, de trazer sugestões à Casa. Eu sinceramente eu não entendo [a pressa em votar]”, disse o edil.

Mudanças

Segundo Ronaldo Silva (PSDB) que divide a autoria do PL com Cancão, com a reforma serão extintos 208 cargos, reduzindo gastos no orçamento. A matéria prevê ainda “melhorias,  ampliação e renovação das instalações físicas e dos equipamentos dos diversos órgãos que compõem a administração e os gabinetes parlamentares e desenvolvimento de programação constante e permanente visando a implantação de rotinas, com atribuições claras, evitando o desvio de função.

“A Comissão fez um trabalho sério, diminuiu 208 cargos que existiam. Procuramos fazer esse enxugamento da Câmara, quero parabenizar o líder da situação e o da oposição e o presidente da Comissão de Redação e Justiça, Ronaldo Souza. Passamos dias e dias trabalhando nessa reforma”, destacou Ronaldo.

Gilmar Santos (PT) que havia se desentendido com Cancão durante a justificativa dos votos, Cristina Costa (PT) e Domingos de Cristália (PSL) foram contrários à matéria. A expectativa é que o prefeito Miguel Coelho sancione o texto e as mudanças passem a valer em janeiro de 2019.

Deixe uma resposta