Representantes de povos de terreiro protestam contra Resolução Extraordinária do STF

Na manhã dessa quarta-feira (8) representantes dos povos de terreiro da Bahia e Pernambuco se reuniram na Praça do Bambuzinho, no Centro de Petrolina para chamar atenção sobre o preconceito contra as religiões de matriz africana.

De acordo com a representante de movimento das raízes africanas, Teresa Silva, a manifestação pública foi convocada tendo em vista a votação da Resolução Extraordinária de número 494601, que será votada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) amanhã.

“A gente vem em protesto contra uma RE que está em votação no Supremo Tribunal Federal que proíbe o abate animal dentro dos terreiros de candomblé. Nós sabemos que esse abate animal tem uma finalidade para as comunidades de terreiro e a principal delas é a alimentação”, disse ao programa Super Manhã com Waldiney Passos.

Segundo Teresa, a falta de informação e conhecimento das tradições religiosas provoca atitudes como essa, de criar preconceito contra os povos de terreiro. “Nós não acreditamos no demônio, nós acreditamos num todo poderoso. Nós de religiões de matrizes africanas valorizamos a vida como um todo, há respeito à vida, com o animal não seria diferente”, destacou.

A RE, de acordo com Teresa, deveria ser estendida a todas as instituições que abatem animais para fins comerciais, como granjas e abatedores.

O recurso foi interposto pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul contra decisão do Tribunal de Justiça estadual (TJ-RS) que validou a Lei gaúcha 12.131/2004, que permite o sacrifício de animais destinados à alimentação nos cultos das religiões africanas.

O encontro dessa manhã em Petrolina contou com a participação de representantes de povos de terreiros de Santa Maria da Boa Vista e da Bahia, além de membros da Prefeitura de Petrolina.

Deixe uma resposta